Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

O mundo da criadora da "dança da serpente" é lembrado no Café Rivoli
11-10-2017

Loie Fuller, a inventora da 'serpentine dance', é o tema do Café Literário que se realiza no Café Rivoli, já nesta quinta-feira.

 

Apesar da ficção e realidade estarem diluídas, uma estimulante trajetória de vida é apresentada na autobiografia "Quinze Anos de Minha Vida", de Loie Fuller, organizada por Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey e publicada em parceria pela Performatus e NAU Editora.

 

De entrada gratuita, este Café Literário terá leituras a cargo de Tânia Dinis, trazendo-nos o mundo de Loie Fuller, a atriz e dançarina norte-americana que revolucionou a dança com a integração dos efeitos visuais de figurinos, performance com movimento de tecidos e iluminação. Foi a inventora da 'serpentine dance' ou 'dança da serpente', tornando-se pioneira da dança moderna.

 

Sob o contexto do fim do século XIX e início do século XX, Fuller permite-nos acesso ao ambiente artístico da época e às diferentes realidades pelas quais transitava, vivendo dias glamorosos em que tinha flores e garrafas de champanhe à sua espera no camarim, bem como dias em que dançava de estômago vazio por não ter o que comer.

 

Recorde aqui um registo dos irmãos Lumière de alguns dos movimentos que nos EUA fizeram o público olhar de lado para Loie Fuller, mas que foram recebidos de braços abertos em Paris, onde viria a falecer em 1928.


// 

LITERATURA

QUI 12 OUT / 18H30 - CAFÉ RIVOLI