Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

O Traje de Papel e os mergulhos
24-08-2015

O Cortejo do Traje de Papel reuniu este ano cerca de 500 figurantes que desfilaram na manhã de domingo pelas ruas da Foz. No final, houve quem arriscasse um banho dissolvente nas águas frias do Atlântico e aí deixasse o trabalho de meses gasto na confeção das indumentárias.


Tendo a conquista de Ceuta e os descobrimentos como tema, o desfile deste ano, promovido pela União das Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, contou com a presença de várias gerações, que evocaram a epopeia portuguesa. Entre eles, Rui Moreira, que fechou o desfile, envergando um fato de papel, como Infante Dom Henrique.


Na Foz, o dia começou cedo, para o autarca, na sede do Orfeão da Foz do Douro, onde se vestiu a rigor para um desfile que durou quase três horas e foi presenciado por milhares de portuenses e que acabaria na Praia do Ourigo, perto das 13 horas.


Nem o frio, nem a ameaça da chuva travaram muitos outros figurantes a ir ao "banho santo", que segundo o presidente da Câmara, que mergulhou acompanhado pelo presidente da União de Freguesias, Nuno Ortigão, "afasta o mal dos homens".


Cumpriu-se, assim, uma tradição na Foz, que ninguém sabe muito bem como ou porque começou, mas que é tida como uma manifestação única em todo o Mundo.

 

Leia também: Trajo de Papel à conquista de Ceuta