Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

O cinema do real está de volta com o Porto/Post/Doc
01-11-2017

O festival de cinema do real Porto/Post/Doc: Film & Media Festival regressa no próximo dia 27 e traz muitas novidades: além de sessões de cinema, promete concertos, workshops e masterclasses num programa aberto que visa atrair públicos cinéfilos, audiências generalistas e públicos mais jovens.


Ponto de encontro para criadores, público e profissionais do cinema, o Porto/Post/Doc, que decorrerá até 3 de dezembro, foi ontem apresentado em conferência de imprensa, no Café Rivoli, onde foi reafirmado o objetivo de promover a cultura cinematográfica, exibindo as novas formas do cinema contemporâneo.


Com uma filosofia eclética, composta por uma Competição Internacional e vários programas paralelos, o festival tem o apoio da Câmara do Porto e da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, ocupando nesta edição quatro espaços da cidade: Teatro Municipal do Porto - Rivoli, Cinema Passos Manuel, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP) e Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural.


Na apresentação, foi também anunciada a novidade desta edição, em que haverá um programa especial dedicado ao Arquivo. Tem diversos desdobramentos, promovendo tanto a discussão sobre a utilização de imagens de arquivo como a recuperação da memória do cinema, que estará patente no Foco dedicado a Jean Rouch - numa homenagem ao centésimo aniversário do seu nascimento - mas também em diversos filmes dos diferentes programas.


Entre as novidades, o Porto/Post/Doc programou um Foco de filmes e o Fórum do Real sobre o Arquivo e a Pós-Memória, que procura dar conta da utilização do arquivo como meio de produção de novas narrativas documentais e da preponderância desse método para interrogar a história do século XX.

Entre outros, serão apresentados filmes de Filipa César, Albertina Carri e Paz Encina, e o conjunto de convidados inclui Tiago Baptista (diretor do ANIM), Vicente Sanchez Biosca (investigador espanhol), Filipa César e José Miguel Ribeiro (realizadores), Jorge La Ferla (crítico cultural), Paulo Faria e Raquel Ribeiro (escritores).


Focos especiais


O Foco Miroslav Janek e o Foco Peter Mettler Expanded - este complementado com a performance Yoshtoyoshto, a partir da linguagem metafórica encontrada na tribo Yaminahua, que vive na Amazónia - são outras das novidades deste ano.


Central no programa será ainda a Competição Internacional, cuja seleção apresenta 12 filmes a disputar o Grande Prémio Porto/Post/Doc by Vinhos Verdes. Os filmes selecionados debatem o estado do mundo e contestam as fronteiras do cinema contemporâneo.


Mas o festival apresenta ainda o programa Transmission, onde o cinema se cruza com a música (com a presença de Mark Reeder), bem como um documentário sobre o músico brasileiro Jorge Mautner e a estreia mundial de Não Consegues Criar o Mundo Duas Vezes, de Francisco Noronha e Catarina David, sobre o nascimento da cultura hip-hop na cidade do Porto, entre vários outros.


Franz Treichler, dos The Young Gods, Don Letts, documentarista e autor de vídeos musicais, incluindo os primeiros vídeos musicais dos Clash, os Sundays & Cybele (banda japonesa de rock-psicadélico) e o trio Love Theme, a nova encarnação do músico Alex Zhang Hungtai, são outras das participações ontem anunciadas.


Projeto Educativo School Trip


Entretanto, no ambicioso Projeto Educativo "School Trip", o Porto/Post/Doc continuará a promover sessões dedicadas a diferentes públicos, desde o pré-escolar ao público universitário. Será ainda estreado o programa Highlights, onde serão exibidos, em antestreia nacional, filmes que tiveram grande destaque nos maiores festivais internacionais, casos de The Beguiled, de Sofia Coppola, 120 battements par minute, de Robin Campillo, e Lucky, de John Carroll Lynch.


O Cinefiesta, dedicado ao cinema espanhol com exibição de filmes de Carmen Bellas, Ramón Lluís Bande, Jaime Chávarri, Virginia García del Pino e Ander Parody; e o Cinema Falado, com filmes falados em Português, são outras das revelações feitas pela organização do festival que, em 2016, superou os 16 mil espectadores.