Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

O Cerco e Ramalde num espetáculo no Rivoli
19-12-2016

Cultura em Expansão é o nome de um dos programas mais importantes lançados pela Câmara do Porto neste mandato, mas que também se poderia chamar Cidade Líquida ou No Limite. Ou muitas outras coisas. Cultura em Expansão é, na verdade, lançar sementes, criar raízes e fazer crescer o que já existe - que sempre existiu - nos bairros, nas garagens, nas salas de espetáculo formais ou informais, e baralhar tudo de novo.


Entre as componentes do programa Cultura em Expansão, que este ano encerrou domingo no Rivoli, está o projeto Oupa!, nascido em 2015 no Bairro do Cerco e agora transportado para Ramalde, onde, desde abril, diariamente, decorrem oficinas de escrita, produção musical, vídeo e performance.


E o resultado desta colaboração - entre o Estudo Comunitário OUPA! Cerco (legado da residência no Bairro do Cerco) e as oficinas que decorrem simultaneamente em Ramalde - foi agora apresentado no Rivoli, num espetáculo que encheu a plateia. A primeira parte coube aos Oupa! Cero e a segundo ao novo desafio lançado a Ramalde.




Em palco estiveram jovens cantores de rap e hip-hop, bailarinas de break dance e uma componente de vídeo, realizado por um grupo de jovens da Escola EB 2,3 Maria Lamas, num espetáculo que contou ainda com a colaboração da cantora Diana Martinez.


A rapper portuense Capicua tem colaborado neste processo, revelando que "há muito talento no Porto, muito potencial. Este é um processo criativo conjunto. O hip-hop vive muito do do it yourself e a dinâmica aqui é a de colaboração."


Com direção artística de Capicua, D-One, André Tentúgal e Vasco Mendes, o espetáculo arrebatou o público, onde esteve gente de todos os cantos do Porto e onde se incluiu o presidente da Câmara Rui Moreira.


Os depoimentos mostrados no vídeo, acerca de como a música transformou as vidas dos jovens rappers e a qualidade da música e do espetáculo apresentado, fizeram levantar o Auditório Manoel de Oliveira, no Rivoli.


A última música foi dedicada à memória de Paulo Cunha e Silva, o ex-vereador da Cultura, desaparecido em 2015 e que idealizou o programa com Rui Moreira, no programa eleitoral, em 2013.