Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Novas espécies de árvores vão povoar a malha urbana da Av. Antunes Guimarães
13-11-2018
A Avenida de Antunes Guimarães terá novas árvores, a curto prazo. No âmbito da estratégia municipal para a replantação de árvores na cidade, que assenta na premissa de incremento qualitativo do património arbóreo, encontra-se a decorrer uma grande intervenção nesta artéria, onde foram abatidos 55 lódãos (Celtis australis) devido a problemas fitossanitários irreversíveis. Em seu lugar, vão ser replantadas, muito em breve, novas espécies arbóreas.

Esta avenida possuía um alinhamento arbóreo constituído por 55 unidades de lódãos e cerca de uma centena de mélias (Melia azedrach). Ao longo dos anos, o número de exemplares manteve-se e apenas se verificou substituições de árvores, com alteração da espécie Celtis australis por Melia azedrach.

A decisão de substituição da espécie Celtis australis (lódão) é resultado da deteção de situações sanitárias preocupantes que sem qualquer tipo de sintomatologia visível exteriormente, apresentaram ao nível do seu sistema radicular problemas graves que conduziram à queda dos exemplares e consequentes abates urgentes. Note-se que, em alguns casos, dessas quedas resultaram danos em propriedade privada, colocando em risco pessoas e bens.

Para diminuir essa situação de risco, em 2007 efetuaram-se análises fitopatológicas de modo a identificar os agentes causadores, tendo-se obtido isolamentos de Pythium spp nos sistemas radiculares de alguns exemplares, acompanhados por alguns sinais de fungo Ganoderma applanatum.

Estes resultados, associados às constantes agressões que as árvores foram sofrendo ao longo dos últimos 10 anos causadas pelas intervenções em termos de infraestruturas e consequente abertura de valas na área dos passeios e corte das suas raízes, comprometeram a estabilidade dos exemplares e foram decisivos para determinar a causa/efeito do registo de quedas frequentes. Daí a tomada de decisão do abate dos 55 lódãos e replantação de uma nova espécie com carácter urgente.

Esta medida vai, a médio prazo, fomentar os serviços ecológicos prestados pelo património arbóreo da cidade, sempre numa ótica de sustentabilidade e gestão de risco.