Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Neste sábado e domingo a cidade proporciona atividades ao ar livre e sugestões culturais
17-10-2020
Com um fim de semana de temperaturas baixas, por vezes com o sol à espreita, o "Porto." sugere que vista um agasalho e venha desfrutar de atividades variadas de lazer e cultura pela cidade, sempre em cumprimento com todas as medidas de segurança e em conformidade com o atual plano de contingência de cada um dos espaços. Passear pelas zonas pedonais temporárias, visitar exposições, assistir a sessões de cinema ou usufruir de um conjunto de espetáculos para todas as idades, contemplam as propostas para estes dois dias dedicados ao descanso.

Aproveitando o alargamento do projeto municipal das zonas pedonais temporárias, as ruas da cidade continuam a convidar os portuenses a usufruir do espaço público em segurança.

Prolongada até ao final do ano, a iniciativa continua a oferecer diversas propostas de desporto e animação e preenche dez arruamentos com mobiliário urbano. É a sugestão ideal para sair à rua neste sábado e domingo, circulando ao ar livre e desfrutando destes espaços temporários de lazer, entre as 8 horas de sábado e as 20 horas de domingo. Tendo em conta o atual contexto epidemiológico, é aconselhado o cumprimento do distanciamento físico e o uso de máscara em locais de maior afluência de pessoas.

Neste sábado e domingo arranca a nova temporada do Paralelo, o Programa de Aproximação às Artes Performativas, dedicado aos mais novos, do Teatro Municipal do Porto. Integrado na programação do Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP), o Café-Teatro do Campo Alegre recebe, durante estes dois dias, a estreia absoluta do espetáculo "Lilliput", da artista espanhola Ainhoa Vidal, dirigido a famílias. Uma viagem através do ser humano, com sessões hoje e amanhã, pelas 16 horas. 

Ainda no âmbito do festival, o Grande Auditório do Rivoli vai ser palco para a peça "Fibra", de Filipe Moreira e Lola Sousa. A encenação, que tem como ponto de partida a roupa e a sua relação com o corpo, tem uma sessão hoje, às 19 horas, e outra neste domingo, às 17 horas.

Tendo em conta o atual panorama, a programação do Cultura em Expansão para este fim de semana teve de ser adaptada. Desta forma, o concerto de Lena d'Água, planeado para esta noite, foi cancelado, mas a sessão noturna de cinema no domingo mantém-se no Auditório da Junta de Freguesia de Campanhã. Esta será a terceira e última do ciclo de cinema "Campanhã é a minha casa", permitindo ao público (re)ver o documentário de Manoel de Oliveira "Douro, Faina Fluvial", musicado ao vivo pela portuense Ana Deus e o carioca Luca Argel. Antes, serão ainda exibidas duas curtas-metragens, uma de Sónia Amen e outra de Edgar Pêra. O evento começa às 21,30 horas e a entrada é gratuita, sendo necessário levantar bilhete, até duas horas antes, no local.

Na Alfândega do Porto encontra-se patente a exposição "A Arte do Falso", que põe a claro alguns dos maiores engenhos de criminosos dos últimos anos. Inserida nas comemorações dos 75 anos da Diretoria do Norte da Polícia Judiciária, a mostra reúne mais de 200 quadros falsificados, apreendidos nos últimos 15 anos, bem como alguns objetos insólitos que demonstram a astúcia dos criminosos.

A exposição encontra-se patente até ao final do mês de dezembro, tem entrada gratuita, e pode ser visitada, neste fim de semana, das 10 às 19 horas.

Também neste sábado, entre as 14 e as 18 horas, com entrada gratuita, inauguram duas exposições que marcam a abertura da Fundação Marques da Silva (FIMS). A mostra "Siza - Inédito e Desconhecido", patente na renovada Casa-Atelier José Marques da Silva e concebida em parceria com a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP), reúne um conjunto de trabalhos nunca antes apresentados em Portugal, entre eles desenhos que pertencem ao arquivo pessoal de Álvaro Siza Vieira e que permitem analisar a evolução de um traço que atravessa não uma, mas três gerações da mesma família.

Esquissos de projetos, fantasias arquitetónicas e retratos do conceituado arquiteto e de sua mulher, Maria Antónia Siza, compõem ainda a exposição, que tem a curadoria de António Choupina e constitui uma oportunidade para ver também de perto desenhos dos filhos e de um neto de Álvaro Siza Vieira.

Já a exposição "Mais que Arquitetura" agrupa projetos de arquitetura, esquissos, maquetes, fotografias, filmes, registos de viagens, coleções de arte e literatura, objetos de design, mobiliário, e um vasto espólio de objetos e documentos originais pertencentes aos arquivos da Fundação Marques da Silva. Exposto no Palacete Lopes Martins, a curadoria está a cargo de Luis Urbano. "Siza - Inédito e Desconhecido" estará patente até dia 19 de dezembro e "Mais que Arquitetura" prolonga-se até dia 17 de abril de 2021.

Ainda durante o dia de hoje e amanhã, o Teatro Carlos Alberto (TeCA) apresenta a estreia de "Mártir" na cidade do Porto, um espetáculo que explora as causas e os perigos do fundamentalismo religioso e político e que foi considerado um dos melhores de 2018 pela revista Time Out.

Da autoria do dramaturgo alemão Marius Von Mayenburg, a peça conta com a encenação de Rodrigo Francisco e a interpretação de atores como Vicente Wallenstein, João Cabral e Inês de Castro. Há uma sessão hoje à noite, às 21 horas, e outra amanhã, às 16 horas.