Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

"Não temos política social para promover o tráfico", responde Rui Moreira ao BE
24-09-2019

Rui Moreira declarou na noite desta segunda-feira que o Bloco de Esquerda pretendia que a Câmara do Porto fizesse do Bairro do Aleixo "o Bom Sucesso das drogas. Escondíamos das vistas e púnhamos tudo bonitinho", ironizou o autarca em sessão extraordinária da Assembleia Municipal.


O autarca reagia a uma posição da deputada do BE Susana Constante Pereira, sobre o problema do tráfico de droga na cidade. Para Rui Moreira, trata-se de "uma posição neofascista", indicativa de que para o Bloco de Esquerda "a Câmara do Porto devia gastar milhões de euros de munícipes para ali manter um supermercado da droga".

A bloquista havia anteriormente acusado a maioria Municipal de uma "visão retrógrada e repressiva", suportada na proposta de recomendação vinda do Executivo Municipal, que pede à Assembleia da República o reforço de meios humanos e de poder legislativo para que a atuação da PSP em situação de tráfico seja eficaz.

Para o presidente da Câmara do Porto, o BE está a assumir "que quer promover o securitarismo no bairro", ignorando que as pessoas "se sentem impedidas de sair de casa". Há, aliás, relatos nesse sentido, como a carta que Rui Moreira recebeu da Associação de Moradores de Pinheiro Torres, "a dizer que vão formar grupos de vigilantes para defender os cidadãos"., revelou.



Perante a escalada do sentimento de insegurança nos bairros, o autarca entende que "não sendo esta uma competência municipal é uma emergência municipal", dependente, primordialmente, de duas questões: recursos e vontade política.

"Mostrámos que estamos disponíveis para alocar recursos: disponibilizamo-nos paras as câmaras de videovigilância, entregámos viaturas à PSP, propomo-nos a pagar policiamento gratificado e estamos disponíveis para ir mais longe se preciso for", continuou Rui Moreira.

Visivelmente incomodado, o presidente da Câmara do Porto reiterou "não ter políticas para traficantes" e confirmou que sempre que os inquilinos municipais forem condenados por tráfico de droga serão despejados.

"A habitação social é para quem precisa, não para esconder o tráfico", rematou Rui Moreira.