Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Museu da Cidade prepara a reabertura para o dia 2 de junho com "maratona" nas redes sociais
18-05-2020
Na segunda semana de desconfinamento e numa altura em que vemos a cidade a retomar, com cuidado e segurança, os traços da nova normalidade, o Museu da Cidade prepara a sua reabertura, apontada para o dia 2 de junho, com uma "maratona" nas redes sociais em que vai dar a conhecer, detalhadamente, as 16 estações museológicas que o compõem. "Antes da reabertura, ainda imaginar" é o fio condutor desta interação com o público, promovida ainda à distância.

Hoje, data em que se assinala o Dia Internacional dos Museus, uma efeméride habitualmente marcada pela abertura gratuita dos vários espaços e uma programação especial que é acolhida em massa pelos públicos, o Museu da Cidade, à semelhança dos espaços de cultura municipais, ainda se encontra encerrado.

Na verdade, a data oficial para a reabertura dos museus e outros equipamentos culturais do Município ocorre no dia 1 de junho, mas tendo em conta que coincide no calendário com uma segunda-feira, dia da semana em que, por regra, museus e outros equipamentos culturais estão encerrados, a sua abertura efetiva ao público acontece no dia 2 de junho, terça-feira.

Assim, depois de um espaço de pousio, as sementes estão lançadas para um regresso progressivo, sustentado a partir do novo website a abrir e de um Gabinete Atmosférico para partilha e acolhimento de ideias com a comunidade. O recém lançado projeto continua a enviar um Sinal Respiratório e mostra que está vivo.

Paralelamente a este programa de missivas, uma maratona nas redes sociais (Facebook e Instagram) sinalizam as dezasseis estações do Museu da Cidade, algumas delas ainda em desenvolvimento dos seus projetos museológicos, outras a abrir entre 2020 e 2021, caso do Reservatório, da Extensão da Indústria e da Bonjóia Extensão da Natureza.

Cada estação denuncia a sua vocação, revelando um detalhe do seu edifício, um objeto da coleção, um olhar sobre as exposições inauguradas, um recando dos seus jardins, abrindo a imaginação antes de abrir os lugares.