Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Município assume liderança estratégica na criação do Parque Verde da Asprela
06-02-2019

Está formalizado o consórcio externo para o projeto "Controlo de Cheias na Bacia da Ribeira da Asprela e criação do Parque Verde Central da Asprela", constituído pelo Município do Porto, Universidade do Porto, Politécnico do Porto e Águas do Porto. Um passo essencial para o desenvolvimento do novo pulmão verde da cidade.


Na reunião de Executivo desta terça-feira, foi aprovada por unanimidade a constituição do agrupamento de entidades ligadas ao projeto Parque Central da Asprela, para efeitos de apresentação de candidatura e obtenção do apoio financeiro do Fundo Ambiental de "Adaptação do Território às Alterações Climáticas - Recursos Hídricos", criado pelo Ministério do Ambiente.

O projeto, recentemente apresentado por Paulo Farinha Marques, coordenador da equipa multidisciplinar, vai nascer em terrenos da Universidade do Porto (U.Porto) e, considerando o campus universitário envolvente, conjugaram-se esforços com o Instituto Politécnico do Porto.

Com esta intervenção, será devolvida à população, universitária e não só, a utilização e fruição de um espaço natural verde que permitirá tirar partido da Ribeira da Asprela, que hoje não tem condições de ser desfrutado.

O enquadramento dos recursos hídricos é, de resto, o cerne do projeto do futuro Parque, que prevê a criação de espelhos de água, que vão interligar-se às estruturas verdes e aos percursos pedonais (também acessíveis a pessoas com mobilidade reduzida) e cicláveis.

Por esse motivo, a autarquia associou-se à equação, considerando também que é a única das quatro entidades habilitada à obtenção do Fundo, no valor de um milhão de euros. Como sustenta a proposta do vice-presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo, "o Município do Porto, no âmbito da sua Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas, tem um grande interesse em desenvolver neste território um projeto neste âmbito que represente a implementação desta estratégia, ao mesmo tempo que permite colocar ao uso e fruição da população um espaço verde de dimensões consideráveis mesmo no centro do Polo da Asprela".

Criado este consórcio externo, compete ao Município do Porto exercer a liderança estratégica, "respondendo pelo projeto perante o Fundo Ambiental para todos os efeitos de ordem técnica, legal e administrativa e assegurando todas as comunicações com o referido Fundo".

Já o acompanhamento no terreno da evolução dos trabalhos será assegurado pela empresa municipal Águas do Porto que, "no âmbito do seu objeto estatutário, tem a responsabilidade da recuperação e renaturalização das ribeiras urbanas, destacando-se de entre estas a Ribeira da Asprela, na qual já há uma intervenção executada e outra em projeto de execução".

O investimento global para o Parque Verde Central da Asprela ronda os 1,9 milhões de euros. Estima-se que esteja concluído em 2020.