Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Moradores da Foz bem informados
01-03-2015

Na primeira noite após a entrada em funcionamento do novo plano de circulação da Foz (que foi implementado durante três dias) apenas oito carros estavam ainda estacionados no sentido inverso. Este dado, recolhido pelos técnicos do pelouro de mobilidade da Câmara do Porto de sexta para sábado, vem demonstrar o elevado nível de informação dos munícipes e de colaboração com a autarquia.


Recorde-se que a Câmara Municipal avisou todos os moradores da zona através de um prospeto colocado nas caixas do correio. De madrugada, em cada dia em que ocorriam alterações, todos os carros estacionados receberam um "post-it" que chamava a atenção dos automobilistas para a necessidade de inverterem a marcha ou que a sua rua tinha passado a ter dois sentidos.


O site www.porto.pt divulgou os mapas, o plano, nos novos trajetos STCP e dois meses antes foi promovida uma sessão pública de debate com os munícipes. Também a imprensa divulgou em forma de notícia as alterações e nos jornais diários de maior circulação na cidade foram publicados anúncios durante quatro dias consecutivos, contendo o plano e avisos às alterações.


Também da parte da STCP os dados de circulação são muito positivos, tendo em conta serem as alterações muito recentes e estarem ainda os motoristas a adaptar-se aos novos percursos e abordagens a curvas e cruzamentos. Contudo, a linha 202 apenas na próxima segunda-feira iniciará o seu trajeto definitivo.


Em dois dos dias de implementação ocorreram também alguns problemas com os táxis, uma vez que os operadores não concordaram com as novas posturas e criaram alguns constrangimentos de trânsito. Esse problema foi, entretanto, resolvido, após acordo entre as associações do setor e a Câmara, após reunião com o presidente e a vereadora.


O primeiro sábado, segundo dia de funcionamento em pleno do plano, decorreu sem problemas de maior e com uma fluidez, até, acima das espectativas da Câmara do Porto, tendo em conta a elevada pressão de trânsito aos fins-de-semana e tratarem-se de automobilistas diferentes dos que circulam à semana naquela zona.


O pelouro da mobilidade diz ser, contudo, impossível tirar conclusões definitivas sobre a eficácia das alterações e sobre a necessidade de ainda proceder a alguns ajustes, tanto mais que a sinalização que existe no local é ainda reforçada, por forma a evitar acidentes e chamar a atenção para as alterações e ainda haver muitos automobilistas a hesitarem acerca do percurso a seguir.


Apenas ao fim de algumas semanas poderá ser possível começar a tirar as primeiras conclusões e somente após meses será possível avaliar se poderá ou não ser alcançado do primeiro objetivo das alterações: a diminuição da sinistralidade, em particular, nos atropelamentos.