Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

"Monocle" explica por que é que o Porto tem uma qualidade de vida ótima
28-06-2019
A revista global sobre negócios, design, cultura e estilo de vida "Monocle" dedica um artigo da edição de julho/agosto 2019 a apresentar a cidade do Porto como um centro cosmopolita, onde a vida "não tem de ser excessivamente cara" ou onde as pessoas estejam "sobrecarregadas com trabalho".

Segundo a conceituada publicação, a cidade do Porto possui uma qualidade de vida ótima em muitos aspetos, tais como o ambiente social, económico, cultural, as opções de lazer ou a infraestrutura de habitação e meio-ambiente.

A segunda maior cidade de Portugal é descrita como a capital de uma economia ascendente, com um crescente panorama de entretenimento, que acolhe festivais, ciclos de cinema e eventos culturais cada vez mais internacionais, combinando a vida moderna e urbana com opções para quem procura viver bem.

De acordo com a "Monocle", o Porto está entre as cidades que oferecem um ritmo de vida descontraído e que elevam a qualidade de vida tanto de residentes, como é o caso de Eduardo Aires, como de estrangeiros, como Miguel Cunha e Sako Arao ou mesmo Juan de Mayoralgo ou Christian Haas.

Para Eduardo Aires, o galardoado autor da marca "Porto.", a Invicta proporciona a oportunidade de ter o seu gabinete de trabalho no centro da cidade e de se deslocar facilmente para qualquer sítio que necessite, a pé, em menos de 20 minutos. Já o casal Cunha e Arao, que se mudou de Londres para o Porto em 2013, conseguiu concretizar o sonho de abrir o seu próprio restaurante, "com acesso a fornecedores de produtos orgânicos", conclui Arao, antiga professora primária.

Já Juan de Mayoralgo, que trocou Lisboa pelo Porto em 2016, conta à "Monocle" que "abri a minha guesthouse e tenho um negócio quase sempre cheio".

Por sua vez, o designer industrial Christian Haas tomou a decisão de se mudar para a cidade do Porto com o seu companheiro em 2014, porque "em França não encontrávamos nada que pudéssemos pagar; as habitações eram minúsculas e muito caras", explica à revista. "Aqui, no Porto, conseguimos realizar o nosso sonho. Temos uma casa, na qual montei o meu estúdio de trabalho. Isto era impossível em Paris, Londres ou mesmo Nova Iorque, pois são cidades demasiado populosas, com um ritmo de vida agitado e muito caras", acrescenta Haas.