Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Mercado Temporário do Bolhão está preparado para receber os comerciantes
18-09-2017

Estão concluídas as obras do Mercado Temporário do Bolhão. A estrutura, que ocupa mais de cinco mil metros quadrados no Centro Comercial La Vie, está preparada para receber os comerciantes do Bolhão, oferecendo-lhes as condições logísticas, de salubridade e de venda que o mercado centenário, neste momento, não reúne.


Situado na Rua de Fernandes Tomás, muito próximo do Bolhão original, e com ligação também à Rua da Alegria, o Mercado Temporário ficou pronto de acordo com o plano de obras estabelecido. Neste momento, procede-se apenas à montagem final do equipamento, conforme o presidente da Câmara, Rui Moreira, hoje constatou em visita ao local.


"Estamos em condições de já na próxima semana albergar aqui todos os comerciantes do interior e inquilinos do exterior [lojas] do Bolhão. Neste espaço têm a oportunidade de utilizar um equipamento com todas as requisitos de higiene e segurança exigidos num mercado desta natureza" - garantiu Cátia Meirinhos, administradora da GO Porto, a empresa municipal responsável pelo projeto.


Duas entradas autónomas, facilidade de acesso inclusive para quem TEM mobilidade reduzida (além de escadas fixas e rolantes, há elevador) e ligação direta pelo parque de estacionamento são formas de chegar a um espaço organizado por tipo de atividade.


As áreas tradicionais do mercado de frescos (como frutas ou flores, carnes ou peixes) estão agrupadas em alas identificadas por cores distintas. Há depois a zona dos cafés, a da restauração e uma desenhada para as lojas instaladas no exterior do edifício do mercado original.


Além da área pública do mercado, existe uma privada para armazenagem e cais de cargas e descargas de acesso direto pela Rua da Alegria.




Com o Mercado Temporário, a Câmara do Porto oferece uma solução condigna, a poucos passos do lugar de tradição, para os comerciantes e inquilinos do Bolhão ficarem alojados durante dois anos, o tempo previsto para a reabilitação do emblemático e centenário edifício.


Recorde-se que, inicialmente, estava previsto para setembro o arranque das obras de restauro e modernização do Mercado do Bolhão, um projeto já com fundos comunitários aprovados. No entanto, querelas entre concorrentes no concurso público a que obedece o processo ditaram, no entanto, um atraso de três meses no arranque as obras, que deverão começar no início de 2018. No que a autarquia pode controlar em termos de timings, está então pronto a ser ocupado o Mercado Temporário.