Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Marcelo Rebelo de Sousa e Rui Moreira visitam esta tarde uma mostra sobre o Foral do Porto
09-06-2017

O Presidente da República visita hoje a exposição "O Foral do Porto. 1517-2017. Marca de Um Rei, Imagem de Uma Cidade", que assinala os cinco séculos em que D. Manuel I estabeleceu diretrizes aos seus habitantes. Marcelo Rebelo de Sousa estará acompanhado por Rui Moreira, presidente da Câmara, sendo que esta visita acontece no âmbito das comemorações do 10 de junho, a decorrer no Porto.


Esta manhã, o Chefe de Estado presidiu ao içar da bandeira, junto à estátua de Almeida Garrett, na Praça General Humberto Delgado, em frente à Câmara do Porto.


Integrada nas comemorações do 10 de Junho - Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, a mostra sobre o Foral conta com um núcleo central na Casa do Infante, que se desenvolve em quatro eixos temáticos relacionados com a importância do documento. A exposição abre ao público no domingo, podendo ser apreciada no horário regular da Casa do Infante (das 9,30 às 12,30 horas e das 14 às 17 horas).


Em declarações à agência Lusa, a chefe de Divisão do Arquivo Municipal da Câmara do Porto, Helena Gil Braga, afirmou que o Foral do rei D. Manuel I "é um documento muto importante para a história administrativa do Porto" e "representa a forte articulação que existia entre o rei, o bispo e o concelho". Há 500 anos, "o documento regulou atividades económicas", bem como abordou assuntos de natureza fiscal e jurisdicional, definindo a relação da monarquia com o concelho, disse.


"O Foral e o Porto: símbolo, marca e identidade", "O Foral e o Porto: rei, lei, poder(es)", "O Porto do século XVI e o seu Termo: espaço, centralidade e funcionalidade" e "O Foral manuelino do Porto: arte, técnica, comunicação" são os quatro eixos da exposição, cuja abertura ao público está marcada para domingo.


De acordo com informação sobre a mostra, "a partir do século XIX, altura em que a dimensão administrativa dos forais foi extinta, estes documentos converteram-se em elementos históricos e portadores de identidade cultural, circunstâncias que contribuíram para a sua apropriação simbólica e preservação ao longo de 500 anos".


O Foral, datado de 20 de junho de 1517, conta com uma encadernação inteira em pele, do século XVI, com ferros a seco e aplicações em metal, designadamente esferas armilares e armas nacionais.