Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Galeria inaugurou Habitar Portugal 12-14
19-02-2016

Mais de 800 pessoas marcaram presença na inauguração da primeira exposição do ano da Galeria Municipal do Porto: "Habitar Portugal 12-14", uma coprodução entre a Ordem dos Arquitetos e a Câmara do Porto, que decorreu ontem. A mostra marca, também, o início do percurso da Galeria Municipal como uma entidade autónoma da Biblioteca Almeida Garrett e com uma identidade gráfica própria.


A temporada deste ano começa com um regresso à arquitetura numa parceria com a Ordem dos Arquitetos, que já tinham emprestado a sua "arte" na primeira grande exposição inaugurada na Galeria Municipal, em 2014, "Porto Poetic" e que demonstra a importância que este setor assume para a identidade da cidade.


Durante a inauguração, o presidente da Câmara do Porto revelou que todos os anos haverá uma mostra dedicada à arquitetura na Galeria Municipal, dado a importância que assume. "É de facto uma das matérias que o Porto se destaca no panorama internacional", disse Rui Moreira e sublinhou a necessidade redobrada de promover o setor no contexto atual de crise económica.


"Habitar Portugal", observa a produção arquitetónica portuguesa do último triénio e, nesta quinta edição, inclui uma seleção de obras representativa da sua diversidade, especificidade e qualidade.


Mediante o tema "Está a arquitetura sob resgate?" a equipa comissária, composta por Luís Tavares Pereira, Bruno Baldaia e Magda Seifert, procurou indagar os impactos e as influências do contexto social e cultural que atravessamos na produção de arquitetura. Austeridade, escassez, desemprego, emigração, diminuição do poder de compra, crise do mercado imobiliário, são tópicos que não conseguimos dissociar de uma reflexão profunda que incide sobre as condições da construção e da arquitetura nos anos 2012, 2013 e 2014.


João Santa-Rita, presidente da Ordem dos Arquitetos referiu que "esta mostra procura provar e mostrar como a arquitetura resistiu a este período difícil que tem vivido", além de "provar a vitalidade da arquitetura e dos arquitetos portugueses".


O projeto terá um núcleo central permanente, com 80 obras expostas de forma sintética, e conteúdos originais concebidos pelos comissários. Poderão também ser vistos registos em vídeo originais sobre as obras em foco em cada etapa. Na exposição inaugural na Galeria Municipal do Porto é dado destaque às obras situadas na Área Metropolitana do Porto, como, por exemplo, o arranjo urbanístico do espaço público do bairro do Lagarteiro.


Luís Tavares Pereira, um dos comissários da "Habitar", explicou, ainda, que haverá um programa paralelo desenvolvido ao longo dos próximos meses que inclui conferências, debates, um ciclo de cinema e um "serviço educativo vocacionado para a ligação d arquitetura com um público infanto-juvenil".


A mostra agora patente na Galeria Municipal do Porto é o primeiro local por onde passa a "Habitar Portugal 12-14", num conjunto de 14 exposições que entre fevereiro de 2016 e dezembro de 2017 darão a conhecer, não apenas a identidade das obras selecionadas, mas também cada núcleo dessas mesmas obras situadas na área geográfica do local da exposição.


A mostra é de entrada livre e está patente na Galeria Municipal até 25 de abril.




+Info: Habitar Portugal 12-14