Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

"Locomotiva" dá vida à baixa
22-12-2014

Chama-se Locomotiva e é o novo projeto de dinamização e animação do Centro Histórico do Porto apresentado esta segunda-feira na Estação de S. Bento, uma parceria da Câmara Municipal do Porto com a REFER. O projeto, executado pela Porto Lazer, será desenvolvido a partir dos armazéns da REFER, voltados para a rua da Madeira, quer será regenerada como uma nova praça. Vários agentes da cidade estão envolvidos e a duração prevista para a intervenção é de seis meses, entre dezembro de 2014 e junho de 2015. É co-financiado a 85 por cento pelo programa ON.2 - O Novo Norte, com um valor global de 800 mil euros.


O Locomotiva apresenta como grande transformação física a regeneração da zona que compreende a rua da Madeira, apresentando como objetivo a construção de uma nova praça para aquele espaço, atualmente ocupado por um parque de estacionamento e padecendo de claros sinais de degradação.


"Será uma praça de lazer, podendo haver um conjunto de atividades", explicou Rui Moreira aos jornalistas no final da apresentação pública do projeto. "Vamos ter um tempo de programação, como tivemos nas Flores e depois será o mercado e serão os agentes culturais, de lazer e económicos que tomarão contas deste espaço, ou seja, a Câmara não tem uma visão dirigista de planeamento permanente", sublinhou o Presidente da Câmara Municipal do Porto. A nova praça deverá ficar concluída até março do próximo ano.


" Não vão nascer aqui escadas rolantes ou corredores. Vai nascer algo que acredito que num futuro próximo fará de São Bento um local de referência da vida cultural do Porto", completou o presidente da REFER, Rui Lopes Loureiro, também presente na apresentação.


O Locomotiva envolve também um conjunto de diversas intervenções imateriais, divididas em quatro linhas principais: arte urbana, estações, programa de voluntariado e gestão de convocatórias abertas. Mobiliza os parceiros artísticos, empresariais e institucionais a intervirem no território abarcado, que privilegia a ligação com as Flores, os Clérigos e a Praça da Batalha.


O projeto quer contribuir para "colocar o Porto na rota das cidades da arte urbana", como se pode ler no jornal entregue durante a apresentação pública. Para os armazéns da Refer, futuramente reabilitados como galeria, estão previstas duas grandes exposições, além de residências artísticas, com a colaboração de artistas nacionais e internacionais.


Também pelas ruas do centro histórico envolventes à Estação de S. Bento, em locais estratégicos, serão colocadas estruturas artísticas temporárias.


Vão igualmente realizar-se vários espetáculos, com a colaboração de agentes como o ACE/Teatro do Bolhão, o Balleteatro, o Teatro de Marionetas do Porto, a companhia Erva Daninha, o Porta-Jazz, a PELE - Espaço de Contacto Social e Cultural ou a Circolando que, entre outras, irão participar no projeto.


Já o programa de voluntariado será organizado em parceria com a Fundação da Juventude.