Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Laboratório do Porto descobre anticorpos capazes de neutralizar o vírus SARS-CoV-2
30-09-2020

A FairJourney Biologics, empresa de biotecnologia do Porto, acaba de anunciar que descobriu 15 anticorpos com potencial para tratar pacientes infetados com o vírus SARS-CoV-2 e para proteger a população com maior risco de ser infetada. A descoberta foi realizada em conjunto com a congénere IONTAS, laboratório sedeado em Cambridge, recentemente adquirido pelo grupo do Porto, líder mundial na identificação e fabricação e anticorpos.  


A investigação, que foi verificada de forma independente pelo National Institute for Biological Standards and Control (NIBSC), do Reino Unido, instituição de referência em todo o setor da biomedicina e tida também em consideração pela Organização Mundial de Saúde, confirma a existência de um conjunto de anticorpos que "comprova bloquear a infeção em doses tão baixas quanto 20pM em testes pseudovirais e 100pM em testes na presença do novo coronavírus", assinala a FairJourney Biologics em comunicado.

Numa janela temporal de apenas dois meses, os dois laboratórios isolaram centenas de anticorpos catalogados como neutralizadores de vírus. A partir de análises sanguíneas realizadas de forma sistemática a uma amostra de pacientes que estavam a recuperar da infeção por Covid-19, conseguiram chegar a 15 anticorpos com elevado potencial para neutralizar o vírus SARS-CoV-2. Os mesmos "têm propriedades biofísicas adequadas para o desenvolvimento de fármacos", o que contribui para reduzir o risco nas etapas seguintes dos ensaios clínicos e do fabrico, atestam os investigadores.

O grupo líder neste setor da biofarmacêutica não desvaloriza a importância das vacinas na luta contra a Covid-19, bem pelo contrário, mas ressalva que "a imunização passiva por anticorpos monoclonais também pode desempenhar um papel fulcral" neste combate, por duas ordens de razão. Por um lado, porque podem ser usados "para tratar indivíduos sintomáticos após exposição aguda ao vírus" e, além disso, porque desempenham um importante papel profilático na proteção de profissionais de saúde e grupos de risco, incluindo indivíduos que reagem mal às vacinas.

"Desde o início da pandemia por Covid-19, as empresas biofarmacêuticas têm demonstrado a capacidade e a vontade de romper fronteiras ao trabalharem em cooperação para benefício da comunidade global. Graças a este espírito colaborativo, já foram feitos avanços extraordinários em escalas de tempo apertadas. A conquista da IONTAS e da FairJourney Biologics, que tira proveito de anos de experiência na descoberta de anticorpos, é um excelente exemplo disso", sublinha John McCafferty, diretor científico da IONTAS, citado pelo comunicado.

António Parada, CEO da IONTAS e da FairJourney Biologics, acrescenta: "Estamos orgulhosos do trabalho que realizamos para desenvolver anticorpos neutralizantes de SARS-CoV-2, com elevado potencial, em tão pouco tempo. O efeito de neutralização dos anticorpos selecionados é tal que os torna capazes de bloquear e tratar infeções. A próxima etapa é identificar parceiros com experiência e capacidade de aplicar estes ativos promissores em ensaios clínicos, com o objetivo de desenvolver um tratamento para a Covid-19".

O projeto reuniu parceiros de todo o mundo, sob a colaboração direta da BioIndustry Association (BIA) Antibody Task Force, associação internacional de laboratórios do setor da bioindústria, com sede no Reino Unido. Esta rede alargada permitiu acelerar a identificação e certificação dos melhores anticorpos num curto espaço de tempo, sem comprometer o rigor e uma avaliação multifacetada.