Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

"La Voz de Galicia" diz que o Porto é o epicentro do noroeste peninsular
26-01-2018
A publicação Voz de Galicia volta nas suas páginas a assinalar o crescimento exponencial da cidade do Porto, na continuidade do trabalho de fundo que tem vindo a fazer sobre Portugal. O jornal refere que o motor deste desenvolvimento se deve, em grande parte, à existência de uma rede de infraestruturas com performances notáveis, como o são o Aeroporto do Porto e o Porto de Leixões, que lideram a circulação de passageiros e de mercadorias no noroeste peninsular. Na segunda parte da entrevista realizada a Rui Moreira, o presidente da Câmara do Porto explica que existe "uma estratégia articulada" entre os setores público e privado, "que não perdem grande tempo com discussões".  

Para o jornal espanhol, o Porto é um "epicentro cada vez mais inquestionável". Com o crescimento do turismo tem aprendido a reordenar-se e a criar soluções de sustentabilidade, através de medidas como a taxa turística ou a regulação dos transportes turísticos ocasionais

Reconhecido como melhor destino europeu em 2014 e 2017, salienta o jornal galego, o interesse crescente pelo Porto não é "casual nem fruto de uma moda". Desde o início do novo século há sinais evidentes de que um hub de infraestruturas se estaria aqui a construir. A verdade é que, hoje, os números demonstram que se materializou. E o jornal apresenta dados concretos: "O Porto de Leixões move o dobro das mercadorias em contentores que passam pelos cinco portos da Galiza juntos. O Aeroporto de Sá Carneiro aproxima-se dos 11 milhões de passageiros por ano e movimenta quase mais seis milhões de pessoas do que os três aeroportos galegos reunidos, quando em 2007 a balança inclinava-se a favor da Galiza".

RUI MOREIRA AFIRMA QUE A LIDERANÇA DO PORTO A NORTE É INDISCUTÍVEL

Em entrevista ao Voz de Galicia, o presidente da Câmara do Porto nega que seja intenção do Porto converter-se em gigante peninsular contra as cidades galegas. No entanto, reconhece que, mesmo em tempos de crise, a cidade foi sempre um porto seguro que prosperou. Para além de que, entende Rui Moreira, se "a nossa liderança a norte do país é indiscutível, o mesmo não acontece na Galiza em que sempre houve debate e luta entre a Corunha, Vigo e Santiago de Compostela para investimentos e projetos", desgastando-se assim toda a região espanhola.

A marca Porto., criada em 2014, foi outro dos aspetos abordados na entrevista. O Voz de Galicia diz que a marca é hoje reconhecida internacionalmente e que se tornou num importante instrumento para captação de novos negócios. É a cidade "confortável, interessante e segura" que Rui Moreira faz questão de mencionar, cada vez mais pujante do ponto de vista cultural e que urbanisticamente se regenera. A propósito, é referida a recente notícia do New York Times, que identifica o Porto como um destino seguro.

Todavia, como explica Rui Moreira na continuidade da entrevista, há um senão. "Portugal é o país mais centralista da Europa" e o crescimento do Porto e da região norte conhece sérios entraves devido ao centralismo. Mas, na verdade, é a norte que se encontra 45% da população do país e onde reside mais de metade da população ativa, também esclarece.

"Politicamente, o Estado central deve ter medo do presidente da Câmara do Porto", declarou. E Recorde-se que Rui Moreira tem vindo, em diversas ocasiões, a debater o processo de descentralização, que tem reunido consenso entre as duas Áreas Metropolitanas do país.