Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Mais de 60 lojas na 31 de Janeiro
17-12-2015

Numa semana foram duas as novas lojas que abriram na Rua 31 de Janeiro. A "Papabubble" e "Ritual do Porto" vieram juntar-se às cerca de 60 lojas que, atualmente, têm as portas abertas neste emblemático arruamento da cidade.


Outrora conhecida como Rua de Santo António, e com comprimento de, aproximadamente, 275 metros, a Rua 31 de Janeiro faz a ligação entre pontos icónicos da cidade do Porto, como a zona da estação ferroviária de São Bento e a Igreja de Santo Ildefonso.


Durante o séc. XIX, a 31 de Janeiro era vista como uma das ruas "chiques" da cidade, onde estavam instaladas algumas das melhores lojas do Porto. Contudo, nas últimas décadas, foi-se assistindo a uma progressiva decadência da artéria, com o encerramento de lojas.


Atualmente, assiste-se a um retorno do comércio e a um autêntico renascimento, a que não é imune a passagem do elétrico e a crescente dinâmica social da baixa do Porto.


E os efeitos têm vindo a ser sentidos, sobretudo, por aqueles que todos os dias trabalham nesta rua. A Machado Joalheiro é um dos estabelecimentos mais antigos da Rua 31 de Janeiro. Instalada aqui desde 1914, o prédio que a alberga é considerado como "Imóvel de Interesse Público" e, na voz do seu diretor comercial, Diogo Machado, a dinamização deste arruamento em muito se deve ao significativo crescimento do turismo na cidade, o que resultou numa extensão dos picos de venda. "Já não são os tradicionais três meses de verão. Agora notamos que o período alto de vendas se estende de maio a outubro", explica. Diogo Machado defende que é preciso proteger esta rua e o seu património.


Dos cerca de 60 estabelecimentos comerciais aqui presentes, constata-se que a designada "marroquinaria" ocupa um lugar de destaque. Contudo, tem-se evidenciado uma mudança de paradigma. Numa semana abriram duas novas lojas, ambas com conceitos inovadores.


Fátima Santos, proprietária do "Ritual do Porto", escolheu este espaço pelo gosto que sempre teve pela rua onde trabalhou durante muitos anos - a rua "in" do Porto - como define os velhos tempos da 31 de janeiro. Como tal, a ideia foi muito simples: instalar um conceito inovador, que prima pela personalização e pelo charme, numa via onde contrasta o passado com a esperança de um futuro ainda mais glamoroso. Para Fátima Santos, é preciso continuar a apostar na reabilitação destas zonas típicas da cidade, privilegiando a personalização e diferenciação.


A poucos passos depois, deparamo-nos com a "Papabubble", inaugurada há poucos dias. A marca espanhola, nascida em 2004, tem já mais de 40 lojas pelo mundo, do ocidente ao oriente, e dedica-se à confeção de rebuçados artesanais, primando, também, pela personalização, já que é possível ao cliente customizar o seu pedido, seja com cores seja com as suas mensagens preferidas.


Para além destes dois novos "inquilinos", está prevista a abertura de uma nova loja, que se encontra ainda em obras, mas que brevemente irá engrossar a oferta comercial na rua.


Apesar de ter o seu negócio instalado na Rua 31 de Janeiro há cerca de cinco anos, Jorge Sousa, responsável de loja da "Clayre&Eef" diz ser "evidente o aumento do fluxo de passagem de pessoas pela rua", que tem registado um visível crescimento. "Uma evolução positiva", é assim que Jorge Sousa define os últimos cinco anos, com mais gente e, sobretudo, o que impulsiona as vendas desta loja de decoração.


O turismo e a reabilitação urbana da zona histórica da cidade são dois dos grandes fatores que têm contribuído para o crescimento da dinâmica desta rua. A mudança irá continuar e prova de que os tempos estão a mudar para melhor.


Rui Moreira e o novo vereador do Comércio e Turismo têm estado atentos ao que se passa em 31 de Janeiro, considerada como uma ligação importante entre a parte alta da baixa do Porto e a confluência da Avenida dos Aliados com o eixo Mouzinho/Flores, onde o crescimento do comércio e do interesse imobiliário tem crescido desde a conclusão da reabilitação da Rua Mouzinho da Silveira e a pedonalização da Rua das Flores, no início do atual mandato.