Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Já está encontrada a melhor Delícia do Porto
21-06-2019

O doce que venceu o concurso "Delícia do Porto" é inspirado nas raízes culturais da cidade e na paixão que a sua criadora, Gabriela Ribeiro, tem pela doçaria conventual. A competição decorreu entre os meses de abril e junho.


A grande vencedora do concurso recolheu a preferência de um júri constituído por chefs de cozinha como Lubormir Stanisic e Hélio Loureiro, e pela votação do público.

O doce, que será identitário da cidade, "é como que uma homenagem ao que se fazia no extinto Convento de S. Bento de Avé Maria do Porto, que se situava no que é hoje a Estação de São Bento", afirma Gabriela Leite. Nesse convento, usava-se o milho, pão e trouxas de ovos. Eu acrescentei o feijão para a criação desta peça", conta a autora, que vai receber um prémio monetário no valor de 10 mil euros e ostentar o estatuto de ser a criadora da "Delícia do Porto".

A sua forma peculiar, em coração, também tem origem histórica ao pretender evocar "o momento em que D. Pedro IV doou o seu coração à cidade do Porto como forma de agradecimento pela lealdade do povo da cidade à causa liberal", explica Gabriela Leite.

A doceira Gabriela Ribeiro, do Porto, Rui Pereira do 'Forninho da Granja', na Maia, Joana Sousa, mentora do projeto 'The Pastry Lab', do Porto, e o Chef Sandro Silva da 'Natas D'Ouro', de Vila Nova de Gaia, foram os quatro finalistas que marcaram presença na Grande Final que se realizou na Alfândega do Porto.

O resultado final foi apurado com a participação do público, que pôde votar através da aplicação móvel "Delícia do Porto", desenvolvida especificamente para o concurso. Esta votação teve um peso de 30 por cento na decisão final, sendo a restante percentagem da responsabilidade de um júri constituído pelo chef  Ljubomir Stanisic, pelo chef Hélio Loureiro, por Ana Soeiro e Luís Maia da Qualifica / oriGIn Portugal, por Jorge Braga, da Direcção da AIPAN (Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares do Norte), por Flávio Ferreira, presidente da Escola Superior de Hotelaria e Turismo, pela Confraria das Tripas, pela Confraria dos Sabores Poveiros bem como especialistas dessa instituição, elementos da Confraria dos Velhotes e da Real Confraria Gastronómica das Cebolas e um elemento da organização do concurso.

Depois de eleita, a "Delícia do Porto" pode ser produzida por várias pastelarias e estará disponível no comércio tradicional, na hotelaria, nas Caves, nos cruzeiros do Douro e um pouco por todo o distrito.

A iniciativa, promovida pela Lezíria das Delícias e apoiada pela Câmara do Porto, procurava que fosse criado um doce novo, um produto de origem geográfica que revelasse interesse etnográfico, social ou técnico, evidenciando valores de memória, saberes, autenticidade, singularidade ou exemplaridade. O convite à participação foi dirigido às pastelarias, confeitarias, chefs de cozinha, associações, federações, entidades privadas e pessoas singulares.