Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

ISPUP estuda os 8 600 adolescentes com 13 anos que integram a Geração XXI
15-11-2018
Os 8 600 bebés nascidos em 2005 no Grande Porto e que integram o grupo de estudo Geração XXI estão com 13 anos e voltam a ser reavaliados pelos investigadores do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP).

Este estudo único permite investigar e compreender a saúde, o crescimento e o desenvolvimento das crianças nascidas naquele ano nas maternidades públicas da Área Metropolitana do Porto.

Conhecida como a "Coorte das Crianças", a Geração XXI entrou na adolescência e constitui o objeto de um dos maiores estudos longitudinais da Europa e o único deste tipo alguma vez realizado em Portugal. Coordenado pelo presidente do ISPUP, Henrique Barros, tem como objetivo caracterizar o estado de saúde na infância, na adolescência e, mais tarde, na idade adulta, de modo a compreender os processos de construção da saúde até à maturidade biológica e, mais no geral, a biologia e a sociologia do envelhecimento, o qual começa desde o nascimento.

Através do estudo desta grande e variada amostra de crianças e do apoio das respetivas famílias, é produzido conhecimento indispensável para retratar a realidade da saúde em Portugal, projetar o seu futuro e, especialmente, fornecer as bases científicas para decisões nas políticas de saúde.

Desde o nascimento, os participantes que vivem nos concelhos do Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Maia, Valongo e Gondomar foram sendo seguidos em vários momentos da vida: aos 6, 15 e 24 meses e aos 4, 7 e 10 anos de idade. A nova avaliação da coorte teve início em agosto, numa altura em que os participantes começaram a chegar aos 13 anos, havendo agora a possibilidade de conhecer um novo período da sua vida marcado por alterações físicas e comportamentais próprias da adolescência.

A decorrer no edifício do Centro de Investigação Médica da Universidade do Porto, a nova avaliação vai estender-se por cerca de um ano e meio.

A Geração XXI tem servido de base para um enorme conjunto de descobertas científicas, em áreas como a saúde perinatal e pediátrica, obesidade e saúde metabólica, estilos de vida, saúde cardiovascular, saúde músculo-esquelética e bem-estar psicossocial, mas os dados da coorte permitiram também a realização de dezenas de teses mestrado e de doutoramento, tendo-se revelado de uma enorme importância para a preparação das jovens gerações da saúde pública portuguesa.

Saiba mais sobre o projeto Geração XXI em www.geracao21.com.