Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Histórias das trincheiras da Grande Guerra ao Hospital de Santo António recordam heróis de há 100 anos
14-07-2019

"Das Trincheiras ao Hospital. Portugal, Saúde e Grande Guerra" é o nome da exposição que chega ao Hospital de Santo António a 29 de julho.


Para África em 1914. Em 1917, para França. Milhares de homens adoeceram, convalesceram ou morreram em três teatros operacionais, Angola, Moçambique e Flandres.


A participação portuguesa na Grande Guerra (a primeira de dimensão mundial e que decorreu entre 1914 e 1918) teve consequências políticas, económicas e sociais que se sentiram nas décadas seguintes e que tiveram também um impacte na área da saúde.

Através da mobilização de mais de 100.000 homens, a jovem República Portuguesa (1910) esperava obter o reconhecimento internacional e proteger as colónias africanas dos interesses britânicos e alemães.

Apesar de parecer contraditório, a Primeira Guerra Mundial espoletou um conjunto de avanços técnicos e científicos na saúde. Mas esta guerra total marcaria para sempre a vida de muitos homens, que regressaram com traumas físicos e psíquicos, e que rapidamente caíram no esquecimento.

Através de um conjunto de objectos, fotografias e vídeos, esta exposição relata esse duplo impacto da Grande Guerra na saúde em Portugal. Ao mesmo tempo que dá a conhecer um pouco mais da história destes nossos combatentes, fá-lo também sobre os homens e mulheres que deles cuidaram, nas frentes de combate e em Portugal.

"Das Trincheiras ao Hospital. Portugal, Saúde e Grande Guerra" chega ao Auditório Prof. Doutor Alexandre Moreira do Centro Hospitalar Universitário do Porto, no Hospital de Santo António, a 29 de julho e tem entrada livre. Poderá ser visitada entre as 10 e as 13 horas e entre as 14 e as 17 horas, de segunda-feira a domingo.