Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Guilhermina Suggia lembrada em França
17-02-2015

A vida e obra da violoncelista Guilhermina Suggia vai ser lembrada em França, com o lançamento de um livro previsto para o próximo mês de março. "La Suggia - L'Autre Violoncelliste", da autoria de Henri Gourdin, retrata a vida da violoncelista, que nasceu (1885) e morreu no Porto (1950).


O objetivo, segundo declarações do autor à agência Lusa, é fazer descobrir uma "personalidade injustamente desconhecida" em França, depois de ele próprio a ter descoberto quando escreveu uma biografia do violoncelista Pablo Casals, com quem Suggia viveu sete anos em Paris (de 1906 a 1913).


"Ela foi a primeira mulher a tocar violoncelo ao mais alto nível e a fazer carreira. Não foi fácil porque, na altura, o violoncelo era considerado um instrumento masculino. Ela teve de lutar contra esses preconceitos. Foi o charme da sua personalidade e a sua música que acabaram por convencer o público", explicou o autor.


A "lenda" perpetuou-se, porque os instrumentos que Suggia tocou ficaram "para sempre conhecidos como o 'Stradivarius Suggia e o 'Montagnana Suggia'". Refira-se que um dos mais célebres - o 'Montagnana' - está na posse da Câmara Municipal do Porto, sendo utilizado em ocasiões muito especiais.


O livro "La Suggia - L'autre violoncelliste", da editora "Les éditions de Paris", será apresentado a 16 abril, na Fundação Calouste Gulbenkian de Paris.