Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

GP de Portugal de F1 foi sucesso
02-08-2015

A temporada de Fórmula 1 em Motonáutica despediu-se este domingo da Europa com uma corrida memorável nas margens do Douro, presenciada por mais de 200 mil espetadores, um número que, de acordo com a estimativa do promotor internacional do Campeonato do Mundo, estabelece um novo recorde, tornando esta edição do Grande Prémio de Portugal na corrida em que se registou a maior afluência de público desde sempre!

 

E não foi em vão que tanto público afluiu às margens do Douro, dispondo-se entre o Porto e Vila Nova de Gaia desde a ponte Luiz I até ao cais da antiga Alfândega portuense. Os momentos finais deste programa, iniciado ainda na sexta-feira passada com as primeiras sessões de treinos, foram os 45 minutos do 14º Grande Prémio de Portugal de F1 em Motonáutica, que resultou numa corrida emotiva, onde o francês Philippe Chiappe, campeão do mundo em título, teve de suar para conquistar a sua primeira vitória desta temporada.

 

"Vencer no Porto foi um desfecho extraordinário para um fim de semana absolutamente memorável. Nunca vi um ambiente igual a este que encontrámos no Porto em tantos anos de corridas", explicou Philippe Chiappe no final de uma corrida que marcou a estreia desta competição nas águas do rio Douro. Com este resultado, o piloto francês que representa o Team China subiu do quarto para o segundo lugar do campeonato, ficando a apenas um ponto do líder Shaun Torrente, apenas quinto classificado na corrida deste domingo.

 

Segundo mais rápido na qualificação, o Campeão do Mundo largou para a corrida atrás do autor da "pole-position", Sami Selio, que logo no momento da partida se adiantou, tomando a dianteira da prova. Contudo, Sami Selio nunca conseguiu isolar-se na frente e foi intensamente perseguido por Philippe Chiappe que, à sétima volta, conseguiu por fim ultrapassar o finlandês.

 

A pressão para não se atrasar levou Sami Selio a correr alguns riscos adicionais e na reta mais longa do circuito, junto da Alfândega do Porto, o barco do finlandês levantou voo, descrevendo um "looping" completo no ar, antes de mergulhar com a traseira nas águas do Douro, quando estavam decorridas 26 voltas.

 

A neutralização da corrida permitiu reagrupar toda a frota e quando a corrida foi relançada Philippe Chiappe não se deixou surpreender e atacou forte para, desde logo conseguir, por fim, destacar-se de todos os restantes.

 

Com a vitória decidida, o interesse desportivo centrou-se até final na discussão pelo segundo lugar, que se decidiu num duelo entre o italiano Alex Carella e o sueco Eric Strak, decidido por apenas um segundo a favor de Stark.

 

Quanto ao único piloto português presente, Duarte Benavente, já tinha ascendido ao nono lugar e continuava a tentar progredir na classificação quando o motor do seu barco partiu-se. "Abriu mesmo um buraco", explicou Benavente que, no entanto, se manifestou "muito feliz por esta prova, pois em 16 anos de corridas destas pelo mundo fora, foi emocionante vir ao Porto assistir a um desfile de gente pelas margens do Douro como nunca se tinha registado na motonáutica mundial".

 

Recorde-se que o anterior recorde de espetadores num Grande Prémio de F1 em Motonáutica tinha sido estabelecido no ano passado em Liuzhou, na China, a que assistiram 150 mil pessoas. Curiosamente, Liuzhou será o cenário da prova seguinte do campeonato do mundo, que agora tem uma paragem de dois meses, regressando com o Grande Prémio da China a 1 e 2 de Outubro.

 

MIKE SZYMURA BISA VITÓRIA NA FÓRMULA 4-S

 

Ainda antes do Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1 em Motonáutica, assistiu-se á segunda prova dos barcos da Fórmula 4-S, a categoria de iniciação, participada essencialmente por pilotos bastante jovens. Mas tal como ontem, na primeira corrida, também esta tarde não houve surpresas, pois a prova foi inteiramente dominada pelo alemão Mike Szymura, que repetiu a vitória do dia anterior, de novo secundado, mas já a 17,34 segundos de distância, por Joakim Halvorsen. Este norueguês de 18 anos foi o piloto mais jovem a correr nas águas do Douro, neste "belíssimo circuito" entre o Porto e Vila Nova de Gaia.