Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Galeria da Biodiversidade promove ciclo de palestras sobre espécies ameaçadas
15-02-2018
A Galeria da Biodiversidade - Centro Ciência Viva promove um ciclo de palestras gratuitas sobre animais ameaçados, aos sábados e domingos, sempre às 18 horas. O ciclo - composto por oito palestras - acontece no âmbito do projeto Photo Ark, da National Geographic, levado a cabo pelo fotógrafo americano Joel Sartore, e cuja exposição está patente naquele espaço até 29 de abril.

O ciclo tem como grande objetivo mobilizar os cidadãos para a preservação da biodiversidade no planeta, onde centenas de espécies animais correm o risco de extinção.

A primeira conferência está marcada para este sábado, 17 de fevereiro, às 18 horas, e será sobre o "Lince Ibérico, histórias do felino mais ameaçado".
Ao longo do ciclo serão discutidas as temáticas "O papel do ser humano na conservação das aves no futuro" (18 de fevereiro), "Grandes desafios na conservação de espécies animais em perigo" (3 de março), "Grandes medidas para pequenas espécies - dos espaços verdes urbanos para a proteção de animais como pirilampos, texugos e sapos-parteiros" (4 de março), "Os habitats da floresta e a biodiversidade nos geossítios: os desafios da gestão florestal na defesa contra os incêndios e na protecção das espécies ameaçadas" (24 de março), "A conservação dos oceanos e dos ecossistemas marinhos" (25 de março), "Do mabeco à palanca negra, a conservação de espécies na África subsaariana" (21 de abril) e termina "Agricultura, biodiversidade e serviços dos ecossistemas" (22 de abril de 2018).

A entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço, com entrada prioritária mediante inscrição prévia.

Ciclo abre com histórias sobre o lince-ibérico 

Classificado como o felino mais ameaçado do mundo, ao qual foi atribuído o estatuto de "criticamente em perigo" pela União Internacional para a Conservação da Natureza, o lince-ibérico tem honras de abertura deste ciclo já neste sábado.

Outrora bem distribuído na Península Ibérica, o lince-ibérico teve um decréscimo muito acentuado nos últimos séculos, culminando com o desaparecimento das populações em Portugal. Em 2002 restavam apenas duas populações isoladas no Sul de Espanha, albergando um total de 150 animais. Este facto conduziu à classificação do lince-ibérico como felino mais ameaçado do mundo, sendo-lhe atribuído o estatuto de "criticamente em perigo" pela União Internacional para a Conservação da Natureza.

Um elevado esforço, concertado entre os governos de Espanha e Portugal, com o envolvimento de diversas instituições nacionais e internacionais, permitiu a implementação de diversas ações de conservação que incluem a reintrodução de exemplares em áreas de ocorrência histórica. Em Portugal, os primeiros linces foram libertados em 2014 na região de Mértola e continuam a sê-lo anualmente. O sucesso deste programa tem sido reconhecido internacionalmente, tendo mesmo sido apontado como o programa de recuperação de uma espécie mais bem-sucedido de sempre.

A sessão será moderada por Paulo Célio Alves, professor da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Investigador no CIBIO-InBIO - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto e terá como oradores Miguel Angel Simon, diretor do projeto Life+Iberlince e director do centro de reproducción de Lince ibérico La Olivilla (Andalucía), Pedro Monterroso, investigador no CIBIO-InBIO e Rodrigo Serra, diretor do Centro Nacional de Reprodução de Lince Ibérico, em Silves.

Vão ser discutidas as ações de conservação, os seus desafios e os sucessos na recuperação das populações de lince-ibérico em Portugal e em Espanha

+Info: Programa completo e outras informações disponíveis aqui.