Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Gabinete de arquitetos Mass Lab vence o Concurso de Ideias para Monte Pedral
26-07-2019

O primeiro prémio do Concurso de Ideias para o antigo quartel de Monte Pedral foi atribuído ao projeto do gabinete de jovens arquitetos do Porto, Mass Lab. A aposta na flexibilidade de composição quer do espaço construído quer do espaço público cativou o júri, que atribuiu ainda mais dois prémios e uma menção honrosa, revelados na tarde desta sexta-feira, em sessão pública decorrida no átrio da Câmara do Porto.


De acordo com os especialistas que avaliaram as 21 propostas a concurso, o projeto vencedor, da autoria de Diogo Rocha, Duarte Fontes e Lourenço Rodrigues, "apresenta uma ideia de cidade contemporânea apoiada na diversidade morfológica, tipológica e programática, garantindo a continuidade e a articulação com o espaço adjacente".

Além disso, a proposta destacou-se por, "em vez de propor soluções rígidas, permitir considerar alternativas formais e faseamentos adaptáveis", assinalou o vereador do Urbanismo, Pedro Baganha, na qualidade de presidente do júri do Concurso de Ideias, composto ainda pelos arquitetos Marta Labastida, Teresa Calix, Camilo Rebelo, e pelo engenheiro Rui Furtado, que reuniu por duas vezes no mês de julho para avaliar os projetos e concertar posições.

Em declarações no final da cerimónia, os vencedores referiram que "o gabinete tem um foco muito grande neste tipo de procedimentos", como aliás ficou recentemente comprovado pelo prémio alcançado num concurso internacional para habitação sustentável em Helsínquia, na Finlândia.

Mas esta vitória teve um sabor especial, por ser a primeira relativa a um projeto feito para a cidade do Porto, de onde são naturais. "Foi um privilégio", declarou o coletivo Mass Lab, que destaca como elemento diferenciador da proposta o facto "de pensar o espaço público antes do espaço privado". Com ela, vão receber um prémio de 15 000 euros do Município do Porto.

Em segundo lugar, ficou a proposta do Colectivo Oito. Como destacou o presidente do júri, "levanta uma questão pertinente, que reside na reflexão a fazer sobre a necessidade de proceder à demolição total ou parcial dos edifícios presentes na área de intervenção, colocando a hipótese da sua reutilização e adaptação". Recebe da Câmara do Porto o valor de 10 000 euros.

Já o gabinete Cannatà & Fernandes apresentou a terceira proposta classificada. Coordenado por Michele Cannatà, o projeto despertou o interesse do júri por "valorizar o princípio da permeabilização do solo", ao propor uma solução assente na criação "de um espaço público permeável de uso coletivo num setor urbano claramente deficitário deste tipo de serviços". Ao terceiro prémio estão consignados 5 000 euros.

Foi ainda atribuída uma menção honrosa, no valor de 500 euros, ao projeto desenvolvido em parceria por dois gabinetes de arquitetura: BAUU e Urban Dynamics.

Até ao 10.º projeto a classificação foi feita por ordem, tendo as restantes 11 propostas obtido a 11.ª posição ex aequo, por decisão do júri, assinalou Pedro Baganha, que enunciou, um a um, o nome dos participantes, à medida que os envelopes eram abertos.

O número de propostas ficou aquém do esperado, mas o que importa são as "ideias extremamente interessantes" que emanaram dos 21 projetos apreciados, referiu o arquiteto Camilo Rebelo, membro do júri (apenas uma proposta não foi analisada, porque entrou fora do prazo estipulado pelo concurso).

A apreciação valorizou os critérios de originalidade, inovação e coerência global; qualidade da solução urbana, paisagística e arquitetónica; e exequibilidade.

Os 21 projetos ficam agora expostos no átrio da Câmara do Porto até ao final de agosto (entrada livre nos dias úteis, entre as 9 e as 17 horas).

Projeto regulador para Monte Pedral colhe inspiração no Concurso de Ideias

O desafio lançado em abril pela Câmara do Porto à comunidade de arquitetos, engenheiros e projetistas da cidade visava a encontrar soluções para o antigo quartel de Monte Pedral, que potenciem a revitalização e valorização do espaço, com uma área superior a 25.000 m2.

Os projetos vencedores do Concurso de Ideias vão servir de inspiração e "cardápio de sugestões" ao projeto regulador para aquela área, onde o Município do Porto quer promover a construção de cerca de 400 fogos, a maior parte para habitação com rendas acessíveis.

A discussão sobre o projeto para Monte Pedral continuará em setembro e o vereador do Urbanismo estima que até ao final deste ano possa lançar o concurso de conceção, construção e exploração, que inclui ainda um outro lote de terreno municipal, mais a oriente, em Monte da Bela (Campanhã).

Este projeto, que será alavancado fundamentalmente com investimento privado, soma-se ao projeto de Lordelo do Ouro, onde o modelo escolhido é distinto e assenta em investimento totalmente municipal, na ordem dos 19 milhões de euros, para a construção de 170 fogos a rendas com custos controlados.

Com estes três projetos em curso, a Câmara do Porto prevê disponibilizar 840 novos fogos da cidade. A grande maioria das casas, cerca de 600, será destinada ao mercado do arrendamento acessível.