Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Foi lançada neste sábado a rota turística e de história viva do Porto Liberal
08-07-2017
Mais de uma dezena e meia de locais, edifícios, monumentos, templos e ruas integram a "Rota PORTO LIBERAL", que foi lançada neste sábado, 8 de julho, data em que há 185 anos se deu o desembarque de Mindelo.

Venerável Irmandade de Nossa Senhora da Lapa, promotora da ideia, Câmara do Porto, Museu Militar do Porto (Exército Português), Direção-Geral do Património Cultural, Santa Casa da Misericórdia do Porto (Museu e Igreja) e Direção Regional de Cultura do Norte são as seis instituições da cidade que, em sessão solene, se comprometeram com a criação de uma Rota do Liberalismo pela cidade do Porto.
Comprometeram e criaram, pois o primeiro passo da iniciativa está já materializado através da apresentação física (e digital) de um mapa onde constam elementos essenciais da cidade para se apreender a importância do Porto nos movimentos liberalistas ao longo da História.

Anunciada em fevereiro passado e concretizada neste 8 de julho - data em que no ano de 1832 as tropas de D. Pedro desembarcaram no Mindelo para entrarem no Porto e darem um dos importantes passos contra as forças absolutistas de D. Miguel - esta "Rota PORTO LIBERAL" está, contudo, "aquém e além do objetivo de dar a conhecer o Cerco do Porto", antes assinalando lugares, edifícios, ruas, paisagens, coleções, memórias e outros elementos que permitirão a qualquer interessado "conectar-se com as pessoas que, no século XIX, fizeram Invicta esta que já era a 'mui nobre e sempre leal' Cidade do Porto". 

O protocolo agora assinado prevê, para tal, o empenho continuado dos intervenientes, de modo a não se ficar por uma declaração de intenções. Pelo contrário, irão promover ativamente a revisitação histórica dos acontecimentos ligados aos movimentos liberalistas e contribuir para a sua projeção na memória, coletiva e individual, conforme explicou o Professor Francisco Ribeiro da Silva, mesário da Irmandade da Lapa, entidade onde está depositado o coração de D. Pedro IV (I do Brasil) - O Rei Soldado, ícone do Liberalismo Português.

Este novo produto cultural baseado no património da cidade constitui, por isso "motivo de contentamento" para o presidente da Câmara, já que "vai permitir a quem nos visita, aqui reside ou estuda ficar a conhecer melhor este período histórico" através de elementos da arquitetura, do património, da arte pública e outros.

Enquadrando a "Rota PORTO LIBERAL" nas estratégias que norteiam o governo da cidade, nomeadamente o desenvolvimento cultural, económico e social, Rui Moreira aproveitou para lembrar o Mapa de Arte Pública que será apresentado já próxima segunda-feira, a par da Rota de Santiago e outros projetos em desenvolvimento que têm em comum "relacionar o passado, o presente e o futuro" na divulgação e promoção da "herança deste Porto milenar com tanta importância na História nacional".

Daí que, tal como defendeu o mesário da Irmandade da Lapa, a "Rota PORTO LIBERAL" não se destine especificamente a turistas, antes pretendendo marcar e sublinhar o que é "um traço forte da história da cidade" que foi palco de diversos episódios e movimentos fundamentais para a liberdade no país. "Os habitantes e os líderes do Porto têm sido responsáveis por atos que permitiram a subsistência do liberalismo, desde logo face ao absolutismo monárquico", salientou Ribeiro da Silva.

O lançamento da "Rota PORTO LIBERAL" congregou, por todas essas razões, o interesse das várias entidades em se associarem. Se o diretor Regional de Cultura do Norte, António Ponte, afirmou aderir "entusiasticamente" ao projeto, o provedor da Santa Casa da Misericórdia, António Tavares, declarou um "imenso prazer em participar" e sublinhou que "o Porto não aceita o centralismo nem as formas despóticas do Poder". Também o Major General Aníbal Flambó, responsável da Direção de História e Cultura Militar, elogiou a tarefa de preservação e divulgação da história e da cultura, área a que é particularmente sensível, até porque tem a tutela dos museus militares e, neste caso, do Museu Militar do Porto.

É nesse espírito que a "Rota PORTO LIBERAL" - que pode já ser descarregada ou visualizada em telemóveis, tablets ou computadores (ver abaixo) - promove novos percursos culturais e turísticos de um Porto Liberal que, no século XIX, foi arauto de liberdade, prosperidade, igualdade e tolerância e que continua, até aos nossos dias, a defender o Liberalismo e os seus ideais como património imaterial.

A Rota destaca:
Rua do Heroísmo
Museu Militar do Porto
Biblioteca Pública Municipal do Porto
Rua do General Sousa Dias
Mosteiro da Serra do Pilar
Casa de Fonseca Guedes
Igreja dos Congregados
Praça da Liberdade
Museu e Igreja (Misericórdia do Porto)
Cadeia e Tribunal da Relação
Academia Real da Marinha e Comércio
Museu Nacional Soares dos Reis
Quartel-General de D. Pedro IV
Rua dos Mártires da Liberdade
Quartel de Santo Ovídio
Igreja da Lapa

Pode começar já a planear a sua "Rota PORTO LIBERAL" descarregando o mapa aqui.