Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Filme pintado a óleo sobre a paixão de Van Gogh em exibição no Campo Alegre
26-02-2018

O Teatro Municipal do Porto e a Medeia Filmes estão a apresentar no Campo Alegre "A paixão de Van Gogh", o primeiro filme do mundo pintado a óleo e que assenta em 130 das obras do pintor holandês.


Com exibição diária às 18,30 horas, até à próxima quarta-feira, "A paixão de Van Gogh/Loving Vicent" (2017), de Dorota Kobiela e Hugh Welchman, parte de uma investigação à vida e controversa morte de Vincent van Gogh (1853-1890), contada através das suas pinturas e dos que com ele privaram.

Joseph Roulin é o carteiro que Van Gogh pintou e com quem estreitou amizade. Não se convencendo da teoria do suicídio do pintor, envia o seu filho Armand entregar a última carta que o artista havia dirigido ao irmão, Theo. Ainda que resignado, Armand parte em missão. Quando descobre que o irmão tinha morrido pouco depois de Vincent, começa uma série de encontros com as várias personagens que cruzaram a vida do artista antes dele morrer. Quanto mais pessoas ouve, mais a teoria do suicídio lhe parece infundada. A quem poderá ele entregar a carta, quando todos parecem culpados da morte do pintor?

Para animar este filme, foram pintados e repintados 853 quadros a óleo por mais de uma centena de artistas, o que resultou em 65 mil fotogramas.

Um dos nomes maiores da época pós-impressionista, Vincent van Gogh é de si apaixonante pela pintura e também pelo atribulado da sua curta mas produtiva vida: chegou a pintar um quadro por dia, pouco antes de morrer, supostamente na sequência de uma tentativa de suicídio, com 37 anos.
Saiba mais sobre o filme e veja o trailer aqui.

O nosso último tango 
Entretanto, a programação da Medeia no Campo Alegre inclui, também até quarta-feira mas às 22 horas, "O nosso último tango/Un tango más" (2015), do realizador argentino German Kral. 

O filme conta a história de amor entre María Nieves Rego e Juan Carlos Copes, dois famosos bailarinos na história do tango. María e Juan conheceram-se quando tinham 14 e 17 anos, respetivamente, e dançaram juntos durante cerca de 50 anos. Por todo esse tempo, amaram-se e odiaram-se, passaram por várias separações e voltaram a juntar-se.

Neste documentário, María e Juan partilham a sua história com um grupo de jovens bailarinos de tango de Buenos Aires, que transformam os momentos da sua vida em incríveis coreografias. Uma viagem inesquecível ao coração do tango, com uma película distinguida em vários festivais internacionais.
Mais informações e trailer aqui.