Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Festival Internacional de Circo traz 40 espetáculos e uma grande reflexão sobre o futuro desta área artística
29-05-2018
O Coliseu Porto Ageas vai receber fundos comunitários pela primeira vez e com eles produzir o Festival Internacional de Circo do Porto, em parceria com a Câmara Municipal. O evento recupera as memórias coletivas e oferece à cidade 40 espetáculos de sala e de rua, em setembro, mas também um projeto educativo e de coesão social com jovens e uma conferência internacional para refletir sobre o novo paradigma do circo e o futuro.

Apresentado hoje em conferência de imprensa, o Festival Internacional de Circo do Porto (FICP) vai realizar-se entre 13 e 16 de setembro próximo e tem já assegurada a participação de 12 companhias de vários países. Nesse período, darão mais de quatro dezenas de espetáculos nas salas do Coliseu Porto Ageas, mas também nas zonas públicas circundantes, nomeadamente no Largo de Santo Ildefonso, Praça da Batalha, Praça dos Poveiros e Jardim de São Lázaro.

"Os espetáculos serão todos gratuitos", sublinhou o presidente do Coliseu, Eduardo Paz Barroso, explicando que continua assim a praticar uma estratégia de "portas abertas à cidade" por parte da sala cuja grande tradição de circo faz parte do imaginário dos portuenses.

O festival, que vem ainda na sequência da comemoração dos 75 anos do Coliseu, enquadra-se na estreita parceria com o Município do Porto e beneficia de uma candidatura aos fundos comunitários do programa Norte2020 de quase 180 000 euros, financiada em 80% (cerca de 153 000 euros).

"A candidatura, submetida na rubrica Património Cultural, foi aprovada com 4,5 valores em 5 possíveis", apontou o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, Fernando Freire de Sousa, para destacar entre as mais-valias do FICP: a diversificação de públicos, a quantidade de público a atingir (estimado em 70 000 pessoas), a diferenciação das programações culturais na região e o contributo para a captação de novos públicos para a Cultura.

Freire de Sousa apelou ainda ao envolvimento de escolas e autarquias de outros municípios da Área Metropolitana do Porto e da Região Norte no festival, para enfatizar a dimensão que este tem além dos limites geográfico-administrativos da cidade do Porto. De resto, uma perspetiva também explanada pelo Diretor Regional de Cultura do Norte, António Ponte, que frisou estarem nessa altura presentes na cidade alguns dos melhores nomes internacionais das artes circenses, pelo que o festival "será um momento de valorização dos artistas, da atividade e também do público".

António Ponte salientou mesmo a abertura a novas áreas estéticas, o crescimento dos públicos e o da oferta turística do Porto e da região como dimensões que conferem ainda maior importância ao evento, até porque "acontecendo no ano em que as artes de circo são contempladas pela primeira vez" pela Secretaria de Estado da Cultura, "o festival tem condições para se tornar uma referência e uma oferta permanente da cidade".

Circo Social e Conferência Internacional

Os espetáculos espalhados pela cidade serão a componente mais visível do evento, mas há mais duas outras igualmente importantes. Uma delas será a Conferência Internacional, um espaço de discussão e literacia para o novo circo e o estado da arte em Portugal e na Europa, cujos participantes serão revelados mais próximo do festival.

A outra é o Circo Social, um projeto de serviço educativo e residência artística que está já a funcionar desde março, dando a um grupo de jovens da freguesia do Bonfim a oportunidade de conhecer e aprender as artes circenses. Sob a direção artística de Elsa Caillat e João Paulo Santos, estes rapazes e raparigas frequentam gratuitamente várias disciplinas educativas e artísticas do circo clássico e da sua vertente contemporânea, normalmente designada por "Novo Circo".

A primeira apresentação do projeto está marcada para o dia 1 de julho, integrada no programa municipal Cultura em Expansão.

Componente fundamental do Festival Internacional de Circo do Porto, o Circo Social também se dará naturalmente a conhecer ao público entre os dias 13 e 16 de setembro, através de algumas performances no festival.