Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Falta apenas uma semana para o Rally de Portugal regressar à Baixa do Porto
11-05-2018
Na tarde do próxima sexta-feira, 18 de maio, os melhores pilotos de rali do mundo vão mostrar a sua perícia na classificativa desenhada em plena Baixa da cidade e integrada no figurino oficial do Vodafone Rally de Portugal 2018. As montagens do percurso e das bancadas já começaram. 

Tal como em 2016, a Porto Street Stage volta a integrar o figurino oficial do Vodafone Rally de Portugal, a sexta etapa do calendário do Campeonato do Mundo FIA de Ralis de 2018.

Com novo desenho, um segundo salto e ainda mais zonas para o público poder assistir, a classificativa estende-se este ano por 1,950 metros de extensão, iniciando-se na Avenida Dom Afonso Henriques, junta à Sé Catedral, para terminar ao lado do Tribunal da Relação, na zona da Cordoaria. Ou seja, são quase dois quilómetros de puro espetáculo.

Pelo meio, os concorrentes vão passar em frente à Estação de São Bento, subir parte da Rua de Sá da Bandeira, percorrendo depois a Rua de Magalhães Lemos para entrarem na Avenida dos Aliados. Subirão depois a Rua dos Clérigos em direção à Cordoaria, onde estará instalada a meta.

A anteceder a entrada em ação dos pilotos do WRC, os Clássicos Desportivos realizarão duas passagens a partir das 17,35 horas. Os concorrentes do Mundial de Ralis iniciam a classificativa respetivamente às 19h03 (SS8) e às 19h28 (SS9). A RTP vai transmitir ambas as passagens em direto.

Ogier quer fazer história em Portugal

Desportivamente, uma das grandes curiosidades da prova é saber se Sébastien Ogier conseguirá chegar a um inédito sexto triunfo no Rally de Portugal, superando assim o recorde que atualmente divide com o finlandês Markku Alen.
O francês e atual Campeão do Mundo carimbou há um ano o seu quinto triunfo na prova, depois dos êxitos em 2010, 2011, 2013, 2014.

A tentar contrariar o favoritismo do piloto da Ford, a Hyundai desloca-se a Portugal com toda a sua equipa, sendo aliás a única das formações oficiais a inscrever quatro carros.
Segundo no Campeonato, o belga Thierry Neuville terá em Portugal a companhia do espanhol Dani Sordo, do neozelandês Hayden Paddon e do norueguês Andreas Mikkelsen.

A Toyota inscreve os finlandeses Jari-Matti Latvala e Esappeka Lappi e o estónio Ott Tänak, enquanto a Citroën traz a Portugal os britânicos Kris Meeke, vencedor da edição de 2016, e Craig Breen, além do norueguês Mads Ostberg, que ganhou a prova portuguesa em 2012.

Ao todo, estão inscritas 88 equipas no Rally de Portugal em representação de 26 nacionalidades.

Tänak venceu a última prova

O estónio Ott Tänak (Toyota Yaris) foi o vencedor da prova que antecedeu o Rally de Portugal.
Disputada na Argentina, a quinta etapa do calendário do Mundial foi completamente dominada pelo piloto estónio, de 30 anos, que venceu 10 das 18 especiais do rali, confirmando assim o terceiro triunfo da sua carreira no WRC.

O belga Thierry Neuville e o espanhol Dani Sordo, ambos em Hyundai i20, completaram o pódio da prova argentina.
Já o francês Sébastien Ogier (Ford Fiesta) foi apenas quarto classificado, mantendo, apesar de tudo, a liderança no campeonato, onde soma agora 100 pontos, mais 10 que Thierry Neuville. Ott Tänak surge em terceiro da tabela, com 72 pontos.

Quatro dias de emoção a norte

Novamente com epicentro na Exponor, em Matosinhos, o Vodafone Rally de Portugal vai decorrer entre os dias 17 a 20 de maio, percorrendo 14 municípios da região norte do país, num figurino que se mantém praticamente inalterado face às últimas edições.

O regresso da Porto Street Stage, a disputar ao final da tarde de 18 de maio, constitui a principal novidade no programa competitivo do evento organizado pelo Automóvel Clube de Portugal.

O primeiro dia de prova, quinta-feira, 17 de maio, inicia-se em Paredes, com o Shakedown, espécie de derradeiro teste para pilotos e carros antes da cerimónia de partida oficial, em Guimarães. Dali, o pelotão segue para o Circuito de Lousada, onde decorrerá a única Super Especial do rali e o primeiro momento de competição da prova.

Sexta-feira, 18 de maio, a etapa é disputada quase toda nos troços do Alto Minho, com uma dupla passagem pelos troços de Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima, todos sem alterações face ao ano anterior. O final do dia marca o regresso do Rally de Portugal ao centro da cidade do Porto.

O dia de sábado arranca com a classificativa de Vieira do Minho, seguindo para Cabeceiras de Basto e, como é já tradição, a classificativa de Amarante, que com os seus 37,6 quilómetros, volta a ser a especial mais longa e uma das mais exigentes do rali.

O último dia de prova é uma homenagem do Rally de Portugal e do Automóvel Club de Portugal ao concelho de Fafe, palco de todos os troços de domingo. A cerimónia de pódio volta a ter lugar na Marginal de Matosinhos.

Bilhetes e informação

A porto Street Stage já tem algumas bancadas esgotadas, mas existem ainda várias alternativas, já que a organização duplicou o número de lugares relativamente à edição de 2016.
Os bilhetes podem ser adquiridos no website da Bol ou nas bilheteiras do ACP e municipais, nomeadamente nos pontos de venda montados na Avenida dos Aliados e no Largo Amor de Perdição.

Há também muitas zonas ao longo do percurso, sem bancadas, onde o público pode assistir sem pagar

No Gabinete de Munícipe foi criado, entretanto, um espaço de informação sobre a classificativa do Porto.