Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Vasco Morais Soares: faleceu o arquiteto que reabilitou a Livraria Lello
06-06-2018

Arquiteto portuense foi deputado municipal e fez parte do júri do concurso do Terminal Intermodal. Faleceu hoje Vasco Morais Soares, nascido no Porto em 1940.


Filho do também arquiteto Mário Cândido Soares, Vasco Morais Soares seguiu as pisadas do pai ao formar-se em Arquitetura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, em 1971.

No seu percurso profissional, também há registo de obra internacional. Ainda recém-licenciado, rumou a Angola, onde trabalhou no Gabinete de Obras Públicas de Luanda, até 1975, desenvolvendo projetos de Arquitetura e Urbanismo.
No regresso a Portugal, ainda esse ano, assumiu o gabinete de arquitetura do pai, entretanto falecido. 


Entre 1975 e 2000 integrou quatro direções da Associação de Arquitectos Portugueses e presidiu ao Conselho Diretivo Regional do Norte (1987-1989) e à Mesa da Assembleia-geral no mandato de 1993-1995. Coordenou a revisão estatuária, organizou o referendo à classe relativo à designação de "Ordem" e a votação do seu Estatuto.


Em 1995, foi responsável pelo restauro da mundialmente conhecida Livraria Lello e, em 2016, pela recuperação do vitral que cobre o piso nobre do mesmo edifício e pela restituição da cor original à sua fachada neogótica, datada de 1906. É ainda o autor de obras como a nova Igreja de Ramalde (inaugurada em 2002), no Porto. 


Em 2014, no dia Mundial da Arquitetura (6 de outubro), Vasco Morais Soares foi um dos sete arquitetos portugueses a receber o título de Membro Honorário da Ordem dos Arquitectos.


Foi também deputado municipal pelo CDS-PP no início do milénio, fez parte da Comissão Municipal de Toponímia e, mais recentemente, integrou o júri do concurso do Terminal Intermodal.