Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Exposição juntou mais de 15 mil
07-03-2016

O Porto voltou a transformar-se na "Cidade das Camélias". A semana de 5 a 12 de março desenvolve uma programação dedicada a esta flor ornamental, considerada por muitos como a "Rainha das Flores". Um dos pontos altos que marcam a iniciativa é a XXI Exposição de Camélias do Porto, que decorreu no último fim-de-semana, na Casa de Serralves e que juntou mais de 15 mil pessoas. A iniciativa bateu o recorde das edições anteriores, duplicando a afluência da exposição registada no ano passado, nos Claustros do Mosteiro de São Bento da Vitória. Rui Moreira revelou que em 2017, a exposição terá lugar no Palácio da Bolsa.

 

Esta exposição é uma organização conjunta da Câmara do Porto e da Associação Portuguesa de Camélias. Fruto da projeção nacional e internacional que esta flor tem, no ano passado, foi criada a marca "Porto. Cidade das Camélias" que veio fortalecer ainda mais a relação entre a autarquia e os diversos produtores de camélias.

 

Trazida do Oriente para o Porto no século XIX, a Camélia é considerada património cultural da cidade, já que foi a partir da Invicta que a espécie se disseminou e conquistou o Norte de Portugal e a Galiza. Em homenagem ao país berço desta espécie floral esteve presente na inauguração da exposição, o Embaixador do Japão em Portugal, Hiroshi Azuma.

 

Sob o tema "Porto aberto ao mundo. Desafios do Século XXI na Exposição XXI", durante o certame, Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, e Filipe Araújo, vereador do pelouro da Inovação e Ambiente, entregaram os prémios de "Melhor Camélia de Origem Portuguesa" para a Casa de Souto (Fafe), de "Melhor Camélia" para a Quinta de Vilar D´Allen (Porto), de "Melhor Decoração de Mesa" para a Casa da Levada (Vila Nova de Gaia), e de "Melhor Arranjo Floral" para Graça Spratley. Estas duas últimas categorias foram uma novidade da edição deste ano, que reuniu mais de meio milhar de exemplares de japónicas, das mais diversas formas, cores e tamanhos.

 



Entre outras atividades, a XXI Exposição de Camélias do Porto incluiu, uma Mostra de Trabalhos Escolares, com a participação de mais de meia centena de instituições de ensino da cidade, o tradicional Mercado da Camélia, este ano realizado nos Jardins de Serralves, além de várias oficinas em torno da camélia, dinamizadas pelos Viveiros da Câmara do Porto e pelas Universidades do Porto e de Coimbra. Os visitantes puderam, ainda, assistir a um Teatro de Sombras Japonesas, pela artista plástica Beniko Tanaka.

 

Tal como aconteceu em 2015, a iniciativa alarga o seu âmbito à cidade, prolongando-se por toda a semana - até 12 de março -, com mais de 40 atividades abertas à população, entre visitas guiadas, oficinas, concertos de música, palestras, exposições, conferências, degustações e muita animação de rua.

 

Mais informação:

- Programação completa da Semana das Camélias