Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Exposição idealizada por Paulo Cunha e Silva vem explicar o seu pensamento
04-04-2019
A abertura da exposição "À volta do ato médico" marcou nesta quarta-feira, 3 de abril, mais uma etapa do programa com que a Universidade do Porto vai celebrar o pensamento de Paulo Cunha e Silva ao longo de vários meses.

Numa sessão realizada ao final do dia e que constituiu também a inauguração de um novo espaço cultural na Reitoria, numerosas personalidades juntaram-se para homenagear o ex-vereador da Cultura da Câmara do Porto (falecido em 2015). A exposição e o vasto programa que se lhe seguirá, iniciado a 23 de março com um concerto na Casa da Música, pretendem também dar a conhecer melhor a profissão de médico que Paulo Cunha e Silva exercia em paralelo com a atividade de curador.

Paulo Cunha e Silva foi escolhido como "Figura Eminente 2019" pela U.Porto, o que corresponde a um modelo de homenagem que, habitualmente, "celebra pessoas que são maiores do que a sua própria casa", como apontou Fátima Vieira, a vice-reitora da universidade com a responsabilidade cultural. Citada pela Lusa, recordou que a exposição "À volta do ato médico" resultou de uma proposta do próprio Paulo Cunha e Silva, em 2012, para conjugar ciência e arte.

A exposição - em cuja abertura participaram muitos amigos, colegas e admiradores do homenageado - reúne peças provenientes de várias instituições ligadas à medicina, à arte e à ciência. Inclui também "uma série de citações que foram tiradas de livros dele sobre a forma como a sua formação em medicina determinou a sua cosmovisão", explicou ainda a vice-reitora, que é também curadora da exposição.

Em declarações ao jornal da U.Porto, Fátima Vieira apontou: "Como é que alguém, que é formado em Medicina, olha para a cidade, para a universidade, também como um organismo vivo? Lemos alguns dos seus livros e retirámos citações de forma a iluminar a forma como ele via as exposições, de forma a estas comentarem a própria exposição. Todo este programa propõe-se, sobretudo, iluminar o pensamento dele".

Nesse sentido, após a abertura da exposição, decorreu uma mesa-redonda que juntou o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, o reitor da U.Porto, António Sousa Pereira, e o diretor clínico do Centro Hospital do Porto e docente do ICBAS, José Barros, ex-colega de faculdade de Paulo Cunha e Silva.

A homenagem à personalidade vai continuar com um programa que se prolongará por todo este ano.