Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Estacionamento concessionado
11-09-2015

Só a CDU votou contra a concessão do estacionamento no Porto. PSD, PS e independentes elogiaram decisão de Moreira hoje aprovada na Câmara.


A concessão, por 12 anos, vai permitir à autarquia um encaixe imediato de oito milhões de euros e manter ou mesmo aumentar as receitas de estacionamento nos próximos anos.


A Câmara do Porto espera, com esta concessão, disciplinar melhor o estacionamento em toda a cidade, aumentar a rotatividade e disponibilidade de estacionamento, incrementar a fiscalização do estacionamento abusivo melhorando as condições de trânsito e de acessibilidade e simultaneamente, aumentar a receita e intervir na melhoria das condições dos arruamentos da cidade.


O concurso público para a concessão do estacionamento à superfície no Porto foi lançado após deliberação da Câmara em novembro do ano passado, tendo sido qualificados quatro consórcios concorrentes, que foram convidados a apresentar propostas. Dos quatro consórcios qualificados, três apresentaram propostas tendo saído vencedor o consórcio Empark, que, além do encaixe inicial de oito milhões de euros para a autarquia, propôs-se ainda entregar à Câmara do Porto 54,15% da receita bruta efetiva, valor substancialmente superior ao proposto pelos outros dois concorrentes.


Note-se que o contrato de concessão não representará qualquer aumento das taxas em vigor aplicadas nas zonas com estacionamento pago, ficando garantidas as condições especiais para os moradores que, recentemente, foram substancialmente melhoradas.


A concessão do estacionamento à superfície faz parte do programa de melhoria da mobilidade do atual executivo camarário, inserindo-se num conjunto de medidas que têm vindo a ser implementadas, nomeadamente quanto à pedonalização de ruas no centro da cidade, à alteração de percursos em algumas zonas, à implementação de dissuasores de comportamentos em ruas de grande sinistralidade, melhoria da sinalização vertical e horizontal na cidade, melhoria das condições de circulação do transporte público e incremento da fiscalização.