Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Eventos na cidade mostram comunidades associadas à tecnologia e criatividade
13-09-2017

Setembro revela-se no Porto um mês de eventos votados à programação. No passado fim de semana, duas maratonas com focos distintos atraíram perto de 300 participantes, numa indicação clara do dinamismo de comunidades tecnológicas e criativas que moldam a cidade. No Palácio dos Correios, o "hackathon" de três dias Make or Break resultou em 15 novos projetos tecnológicos. Simultaneamente, no Edifício Transparente decorria a Invictus Game Jam. Ambas as iniciativas tiveram o apoio do ScaleUp Porto, estratégia municipal para um ecossistema de inovação na cidade.


Antes designado Porto Summer of Code, o Make or Break reuniu cerca de 120 criativos, hackers, designers, programadores, gamers e amantes de tecnologia no geral. Entre os dias 8 e 10, os participantes desenvolveram projetos em três categorias: Útil (aplicações relevantes de utilidade para um publico alvo definido); Divertido (foco no entretenimento/diversão) ou Hardcore (projetos de habilidade técnica superior).


Originalidade e o conhecimento técnico marcaram os 15 projetos finais, todos eles desenvolvidos em open-source. Pode conhecê-los em artigo do ScaleUp Porto. A par da competição, o evento integrou workshops.


É de salientar que o Make or Break foi um dos primeiros eventos apoiados no âmbito da Convocatória Aberta do ScaleUp Porto, a qual permitiu apoiar com cerca de 70 mil euros iniciativas do ecossistema de empreendedores da cidade.

 

Game Jams: do Edifício Transparente para o Museu


Se no centro da cidade decorria o Make or Break, junto ao mar realizava-se "a maior Game Jam do país". Cerca de 130 participantes imergiram em 40 horas consecutivas de programação criativa para desenvolvimento de videojogos. O encontro realizou-se no Edifício Transparente.


A Invictus Game Jam, organizada pela FMQ, produtora sediada no Porto, arrancou na sexta ao final do dia e estendeu-se até domingo. A partir da expressão "lucky shot" (tiro de sorte), os "gamers" foram desafiados a mostrar criatividade e capacidade técnica. O evento encerrou com a avaliação dos jogos e atribuição de prémios.




Modelo bem-sucedido, as "game jams" contam com cada vez mais adeptos. No Porto, aliás, há mais um evento associado: nesta quinta-feira, 14 de setembro, o Museu Nacional de Soares dos Reis acolhe a sessão final de apresentação dos jogos realizados no âmbito da Game Jam no Museu.


A sessão, com início pelas 17 horas, é aberta ao público. Após a maratona de criação de jogos realizada emjulho, agora é altura de conhecer a equipa vencedora, que terá como prémio a oportunidade de incubação no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) para continuar a desenvolver o projeto.