Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Escultura alerta contra a poluição causada pelos plásticos de uso único
12-06-2019
São cinco mil garrafas de plástico redesenhadas de modo a formar uma escultura com cinco metros de diâmetro e três de altura, colocada junto à estação de Metro da Trindade e que lança, de forma simbólica, um alerta para o problema dos plásticos de uso único. 

A obra foi desenvolvida por Xandi Kreuzeder e João Parrinha, escultores da Skeleton Sea, que trabalham exclusivamente com destroços, sucatas e qualquer outro resíduo, sempre com o objetivo de promover a consciencialização ambiental e transmitir uma forte mensagem em torno da causa comum: manter o oceano limpo.

A instalação integra uma campanha da Ordem dos Engenheiros - Região Norte (OERN) que juntou empresas, artistas plásticos e universidades numa conferência intitulada "Beyond single-use plastics", que decorreu na sede da OERN nesta terça-feira, dia 11, com o apoio da Câmara do Porto.

A iniciativa "Para lá do plástico de uso único" pretendeu demonstrar que há engenharia nas alternativas ao plástico, na ação contra a poluição, na transformação e nas escolhas para a redução do seu uso e contou com a participação de Filipe Araújo, vice-presidente da Câmara do Porto e vereador com o pelouro do Ambiente.

Filipe Araújo apresentou a estratégia municipal com vista a uma transição para a Economia Circular, pautada por ações concretas como o desenho de um "roadmap" que identifica oportunidades e linhas orientadoras de forma a transformar o Porto numa cidade circular até 2030.

"O processo é complexo e depende do envolvimento de múltiplos atores como sejam as empresas, as universidades, os centros tecnológicos e de investigação, os cidadãos ou as organizações não-governamentais", disse Filipe Araújo, acrescentando que o papel do Município passa por criar as condições necessárias para o envolvimento pleno de todos os atores relevantes.

A conferência contou com a presença do secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde, que defendeu a necessidade de mudança de mentalidades, "num retorno aos materiais biodegradáveis, sem contudo se perder a qualidade de vida".