Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Eliminação de barreiras físicas e sociais no acesso à Cultura dá prémios ao Porto
22-06-2018
O Porto conquistou duas menções honrosas nos Prémios Acesso Cultura 2018 que distinguem os esforços para a melhoria das condições de acesso físico, social e intelectual aos espaços e à oferta culturais. 

O coletivo PELE - Espaço de Contacto Social e Cultural e o Museu das Marionetas do Porto foram os responsáveis pela dupla distinção atribuída pelo júri, que integrou Cecília Folgado, assessora de comunicação da empresa municipal de cultura de Lisboa (EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural), Diana Bastos Niepce, bailarina e coreógrafa, e Francisca Carneiro Fernandes, gestora cultural e ex-presidente do Teatro Nacional São João.

Na opinião das juradas, "o trabalho desenvolvido pelo coletivo PELE é inspirador na medida em que nos mostra um esforço consistente na eliminação das barreiras sociais, independentemente das suas características". Além disso, o júri aponta que, mais do que nas "tipologias" de isolamento ou alheamento social, o PELE foca-se na vontade de proximidade e de valorização dos outros, dos que nos rodeiam. Por essas razões, o coletivo viu a sua "boa prática" premiada na área da acessibilidade social.

Nos Prémios Acesso Cultura 2018, cuja entrega foi realizada na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, o Museu das Marionetas do Porto foi galardoado na área da acessibilidade física, essencial para permitir a qualquer cidadão usufruir em igualdade de oportunidades e de forma autónoma dos espaços públicos.

Ora, segundo o júri, este projeto destaca um trabalho autoral artístico e tem como premissa criar de forma autónoma, dentro das suas possibilidades, acessibilidade a todos, independentemente da sua condição. "As estratégias implementadas refletem o esforço para encontrar soluções mesmo perante barreiras inevitáveis, criando desta forma um espaço sensível à mudança, com acesso à audiodescrição e Língua Gestual Portuguesa", atitude que contribui para potenciar "a mudança de mentalidades face aos agentes culturais" e que contribuiu para a conquista deste prémio.