Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Eduardo Vítor defende criação da empresa municipal de cultura do Porto e elogia opções políticas de Rui Moreira
22-03-2018

Presidente da Câmara de Gaia fala em "poderes ocultos" que justificaram a recusa de visto do Tribunal de Contas e elogia o autarca do Porto, por ser de "uma nova geração de políticos" e por ter demonstrado que "as boas contas não são incompatíveis com política cultural".




Eduardo Vítor falava na apresentação à imprensa do Festival DDD, que junta as cidades do Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos num grande acontecimento de dança. "Estaríamos melhor aqui se já estivesse criada a empresa municipal", disse o autarca, elogiando a forma como Rui Moreira consegue garantir uma política cultural vibrante enquanto as contas da Câmara do Porto apresentam excelentes resultados.


Ainda sobre a decisão da criação da empresa, criticada por Manuel Pizarro enquanto vereador da oposição, o presidente da Câmara de Gaia, também socialista, defendeu que não devem "poderes ocultos" sobrepor-se aquele que é o legítimo poder democrático dos eleitos.


Hoje, a Câmara do Porto anunciou que Rui Moreira anuiu a marcar uma reunião pública sobre o assunto, pese embora as dúvidas sobre a legalidade da convocatória requerida por Manuel Pizarro (PS), Álvaro Almeida (PSD) e os restantes vereadores do PS. Na quarta-feira, o presidente da Câmara do Porto informou os vereadores de que tinha pedido um parecer à CCDRN no sentido de saber sobre a legalidade do que estava a pedir a sua oposição.