Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Dia da Floresta é assinalado com entrega de sementes no Gabinete do Munícipe
21-03-2018
Quem hoje se desloca ao Gabinete do Munícipe (GM) é surpreendido com a oferta de sementes de espécies de arbustos autóctones. A iniciativa simbólica, que marca o Dia da Floresta (21 de março), integra-se na terceira edição do projeto municipal "Se tem um jardim, temos uma árvore para si".

Rosmaninho, papoila, borragem, erva de S. João ou alecrim são exemplos de plantas cujas sementes estão a ser oferecidas no GM. Para quem passa por este espaço de atendimento, na Praça General Humberto Delgado, esta é também uma forma de conhecer o projeto da Câmara do Porto de entrega, gratuita, de árvores e arbustos nativos.

Através da iniciativa anual "Se tem um jardim, temos uma árvore para si", inscrita no processo de reflorestação da área metropolitana, a autarquia coloca à disposição dos munícipes com jardim, quintal ou terreno próprio (sejam residentes ou organizações da cidade) até 10 árvores e arbustos autóctones, à escolha. As inscrições na edição 2018, que acabariam hoje, foram alargadas, prolongando-se até domingo, 25 de março. 
O processo de inscrição/pedido de plantas deverá ser realizado AQUI.

Com a distribuição destas plantas, o Município do Porto apoia e reconhece o importante papel dos munícipes na criação e manutenção de uma robusta infraestrutura verde na cidade. A meta deste projeto é facilitar a instalação nos jardins, quintais, terrenos e terraços privados da cidade de 10.000 árvores e arbustos nativos até 2020.

Nas duas primeiras edições do projeto foram entregues mais de 4.000 exemplares. Para esta terceira edição foram preparadas mais de 3.000 plantas de 14 espécies diferentes para oferecer, entre as quais azevinhos, murtas, medronheiros e loureiros. Na edição deste ano todas as plantas são entregues em vaso para que a condição da planta seja a melhor possível até ao momento de transplantação para os jardins e quintais.

Assinale-se que a criação de infraestruturas verdes tem vindo a ser estimulada pela Comissão Europeia como uma oportunidade para obter benefícios ecológicos, económicos e sociais através de soluções naturais.
Uma infraestrutura verde é uma rede de zonas naturais e seminaturais, concebida e gerida para prestar uma ampla gama de serviços dos ecossistemas. As árvores, os parques e jardins, os bosques e florestas - no seu conjunto designadas de florestas urbanas - são um dos elementos chave destas infraestruturas verdes. Focada na criação de um futuro sustentável para a cidade, a Câmara do Porto tem em curso vários projetos e soluções urbanas.