Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Cortejo Académico começa na Cordoaria e mexe menos com a mobilidade na Baixa
07-05-2018
O tradicional cortejo da Queima das Fitas do Porto está marcado para amanhã, 8 de maio. Este ano o percurso foi redimensionado, indo as alterações ao encontro da preocupação em desimpedir os acessos ao Hospital de Santo António e melhorar a mobilidade no centro da cidade. O trajeto foi redesenhado, mas em nada reduz o clima de celebração dos estudantes e seus familiares.

Um dos momentos altos da Queima das Fitas, o cortejo académico terá início em frente ao Palácio da Justiça, junto ao Jardim da Cordoaria. Seguirá em direção aos Aliados, como sempre, com os estudantes a chegarem agora mais cedo à Tribuna montada junto ao edifício da Câmara do Porto. 

Esta alteração foi decidida pelo Município e a Federação Académica do Porto (FAP), em articulação com todas as entidades envolvidas na organização da Queima das Fitas do Porto 2018. Em estreita colaboração, dota-se o evento da segurança, logística e acessibilidade desejáveis.

O redimensionamento do percurso, ligeiramente encurtado, resulta na diminuição das zonas interditas ao trânsito e, consequentemente, na melhor comunhão da festa académica com o ritmo normal da cidade. Facilita também, como já mencionado, o acesso ao hospital.
Apesar desta mudança, há, naturalmente, um conjunto de condicionamentos a ter em conta, conforme se apresenta aqui.

A 40.ª Queima das Fitas do Porto começou às 00,01 horas deste domingo, 6 de maio, com a Monumental Serenata, realizada na Cordoaria. Também no domingo, pelas 10 horas, o Largo Amor de Perdição acolheu centenas de estudantes para a Missa de Bênção das Pastas, um momento solene presidido pelo bispo do Porto, D. Manuel Linda, destinado especialmente aos estudantes finalistas e respetivas famílias.

"Caros jovens, não olheis para a vida a partir da varanda, para ver quem passa, sejam aqueles que passam, para fazer uma vida mais humana", pediu o bispo do Porto, na homilia, à qual também assistiu Catarina Araújo, vereadora da Câmara do Porto com o pelouro da Juventude e Desporto.

A semana académica prolonga-se até 12 de maio. Como sempre, o Queimódromo, no Parque da Cidade, recebe as noites de festa com um programa de concertos. Este ano a grande celebração da Academia portuense tem o Sê-lo Verde, atribuído pelo Ministério do Ambiente e do Fundo Ambiental, que reconhece a adoção de boas práticas ambientais nos grandes eventos. Com este selo, também ele resultante do trabalho comum entre FAP e Câmara, a Queima do Porto é mesmo a mais sustentável do país.


Cortejo da Queima das Fitas do Porto 2018 - Alterações de Trânsito