Construção do Complexo Desportivo do Outeiro avança com a aquisição de mais uma parcela - Notícias - Portal de notícias do Porto. Ponto.
Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Construção do Complexo Desportivo do Outeiro avança com a aquisição de mais uma parcela
07-02-2018

Está dado mais um passo rumo à construção do novo equipamento municipal do Campo do Outeiro, com a compra de mais uma parcela, desta feita de um imóvel na Rua Fonte do Outeiro. A decisão, ontem aprovada em reunião de Câmara, resolve assim o problema do Sporting Clube da Cruz, que não tinha recursos financeiros para realizar as obras que são prementes e que, após o investimento da autarquia na sua requalificação, continuará a jogar no mesmo espaço.


Em dezembro de 2017, já tinha sido aprovada por unanimidade do Executivo Municipal a aquisição de uma parcela de terreno para a construção do Complexo Desportivo do Outeiro, que vai acolher não só o Sporting Clube da Cruz, como todos os outros clubes da cidade que ali pretendam treinar futebol e outras modalidades.

Ontem, a decisão foi aprovada por maioria do Executivo, com o voto contra do vereador do PSD, Álvaro Almeida, que na anterior proposta, para o mesmo fim, tinha votado favoravelmente.

Desta vez, Álvaro Almeida considerou que, à luz do regulamento para o usufruto dos equipamentos desportivos municipais, "não está garantido o futuro do Sporting Clube da Cruz", uma vez que o documento indica que a tarifa de aluguer para os clubes da cidade é de 30 euros à hora, valor que entende elevado para a capacidade financeira do clube.



Ante as considerações do vereador social-democrata, Rui Moreira afirmou que o deputado social-democrata se tinha esquecido de mencionar que o clube "vai poupar em manutenção, nos balneários" e num conjunto de outras despesas que tornam, atualmente, a situação financeira do clube insustentável.

Além disso, o "Sporting Clube da Cruz está de acordo com esta solução e precisa dela para não ter que continuar a jogar num campo pelado", lembrou o autarca. Reiterou ainda que a municipalização do estádio foi a única forma encontrada para que a Câmara pudesse intervir, fazendo as obras de reabilitação necessárias, e afiançou que os interesses do Sporting Clube da Cruz serão considerados. De igual forma, o futuro Complexo Desportivo do Outeiro terá as suas portas abertas a todos os clubes da cidade, como desde o início do processo ficou assente.

Sem lograr dissipar as dúvidas do deputado do PSD, que não mereceram respaldo na restante oposição, Rui Moreira lembrou o trabalho que, nos últimos cinco anos, foi feito no domínio desportivo pela autarquia, do qual sobressai o investimento na reabilitação do Complexo Desportivo do INATEL e o projeto para a construção de um segundo campo na continuidade do anterior. "Não consta que os clubes da cidade estejam piores após 12 anos em que a Câmara não tratou de se interessar por um único estádio", declarou Rui Moreira, que deu como exemplos paradigmáticos da forma de atuação do Executivo por si liderado da continuidade de clubes como o Ramaldense e o Pasteleira.

Da parte do PS, Manuel Pizarro sublinhou que os vereadores socialistas "reconhecem a bondade da decisão da Câmara do Porto", mas quis deixar uma ressalva relativamente à proposta, uma vez que, na sua opinião, não está suficientemente claro no documento que a sede social do Sporting Clube da Cruz será no novo estádio municipal.

Por seu turno, a deputada da CDU, Ilda Figueiredo, manifestou a sua concordância com a política do Município na construção de mais um equipamento desportivo para a cidade, tendo ainda considerado importante o agendamento da revisão do regulamento para os equipamentos desportivos.