Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Ponte Luiz I aguarda obras
08-03-2016

O vereador do Urbanismo da Câmara do Porto afirmou hoje, na reunião do executivo, que o anteprojeto desenhado para o tabuleiro inferior da ponte Luiz I, que prevê passeios exteriores, aguarda ainda o parecer da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC). O anteprojeto procura resolver o problema daquele atravessamento rodoviário e pedonal à cota baixa e é semelhante ao que já foi feito no tabuleiro superior, por altura das obras para a passagem do metro.


O documento em causa "foi acordado entre os dois municípios (Porto e Gaia) e só não saltou para o espaço público da discussão (antes) porque a DGPC tem de se pronunciar", afirmou o vereador Correia Fernandes em resposta ao vereador do PSD Ricardo Almeida.


O vereador responsável pelo pelouro do Urbanismo referiu, também, que "se a DGPC levantar problemas" as autarquias terão que rever a situação, defendendo que esta é a "solução mais doce" para resolver aquele atravessamento, por não implicar quaisquer alterações nas margens dos dois municípios, Porto e Gaia.


"A ponte Luiz I não é propriedade das autarquias, é da Infraestruturas de Portugal (IP), que tem aqui uma palavra importantíssima, e discutir algo que não é de nenhuma das cidades é algo estranho", destacou Correia Fernandes, lembrando que a ponte é monumento nacional e por isso nada pode ser feito sem o aval da DGPC.


O vereador frisou ainda que, no âmbito da reabilitação estrutural daquele tabuleiro inferior que a IP vai realizar, este anteprojeto poderá beneficiar de apoios daquela entidade proprietária da ponte.


O vereador do Porto já tinha revelado em junho de 2015 existir um acordo com Vila Nova de Gaia e com a IP para construir dois passeios de dois metros dos lados de fora do tabuleiro inferior da ponte Luis I.


Correia Fernandes referiu, ainda, que no âmbito do projeto de valorização do rio Douro, que envolve quatro autarquias, desde a foz até à barragem de Crestuma, está em curso, também com a IP, "a reabilitação" da travessia pedonal da ponte D. Maria e a instalação de uma ecovia, bem como a reabertura do túnel que liga Campanhã à Alfândega.