Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Construção da cidadania e a figura de um monge na Revolução de 1820
14-10-2020

Depois do segmento das Conversas Situadas da programação de 1820 - Revolução Liberal do Porto ter marcado a Feira do Livro do Porto, retomam os colóquios que refletem a importância deste momento da história da cidade e do país.


As próximas quintas-feiras do mês de outubro, sempre às 18 horas, são dedicadas a uma reflexão que faz a ponte entre as conquistas levadas a cabo desde 1820 até à atualidade, desde a construção do conceito de cidadania até à descoberta de uma figura fundamental no contexto revolução.

"De Súbditos a Cidadãos: a conquista da cidadania do vintismo à atualidade" decorre já no dia 15 de outubro, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett. Após uma primeira conversa entre Jaime Nogueira Pinto e Vital Moreira, moderada por Miguel Pereira Leite, regressa Vital Moreira, desta feita partilhando com José Domingues o debate sobre este tema, estendendo-o até à atualidade. Nas palavras do professor catedrático e constitucionalista, não há democracia sem cidadania e releva o nascimento da consciência de uma cidadania europeia decorrente do Tratado de Lisboa como uma mudança conceptual determinante cujo impacto nos dias de hoje será decerto abordado neste colóquio. Com organização da CEJEA / Universidade Lusíada - Norte, o evento não requer inscrição prévia.

Já nos próximos dias 22 e 29 de outubro, a sala do Palacete Viscondes de Balsemão recebe duas conversas sobre a figura de Frei Francisco de São Luís.

Numa época em que a Igreja se colocou inequivocamente contra a Revolução Liberal em curso, surgiram figuras de exceção como este monge beneditino. Popularmente conhecido como Cardeal Saraiva, a sua importância será analisada por Afonso Rocha, que foi professor e investigador de Filosofia e Teologia no Centro de Estudos do Pensamento Português (CEPP) da Universidade Católica Portuguesa e pároco de São Pedro de Miragaia, coadjutor da paróquia da Sé Catedral do Porto e autor de vários ensaios em torno de figuras do pensamento português como o padre António Vieira, Teófilo Braga, Guerra Junqueiro, Sampaio Bruno, Teixeira de Pascoaes, Basílio Teles, Fernando Pessoa, entre outros.

Na semana seguinte, a visão sobre Frei Francisco de São Luís, membro da Junta Provisional do Supremo Governo do Reino, será partilhada por Vital Moreira e José Domingues.

As entradas são livres até à lotação das salas. O auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett dispõe de 95 lugares e a sala do Palacete Viscondes Pinto Balsemão, à Praça de Carlos Alberto, tem 25 lugares mediante o plano de contingência atualmente em vigor. O uso de máscara é obrigatório.

Mais informações e programa completo em 1820.porto.pt.