Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Congresso médico sobre acidentes de trabalho reúne especialistas na Alfândega
28-06-2018
Está a decorrer na Alfândega do Porto o 1.º Congresso Médico promovido pela companhia de seguros Fidelidade. A iniciativa, que reúne profissionais de referência nas diferentes áreas da saúde, direito e gestão, entre outras, propõe-se refletir sobre os desafios inerentes aos acidentes que ocorrem em contexto de trabalho, tendo em vista encontrar soluções que melhor respondam às necessidades das pessoas acidentadas.

A convite da organização, o presidente da Câmara do Porto participou esta manhã na sessão solene que contou também com a participação dos bastonários da Ordem dos Médicos e dos Advogados.

Na sua intervenção, Rui Moreira elogiou a Fidelidade, uma "boa empresa nacional, com história e presente", por ter escolhido a cidade do Porto para a realização deste fórum. Aludindo à realidade municipal, universo com mais de 3.000 colaboradores, afirmou o quão importante é a prestação de bons serviços na área dos acidentes de trabalho, reconhecendo que há sectores dentro da autarquia mais sujeitos a este tipo de ocorrências, nomeadamente os Sapadores Bombeiros, a Polícia Municipal, ou os funcionários que fazem o corte e abate das árvores.

Neste domínio, a autarquia tem estado atenta, prevenindo todos os potenciais riscos, disse Rui Moreira, lembrando, aliás, que o seu antecessor tinha também grandes preocupações a este nível. "Felizmente temos hoje uma sinistralidade baixa", declarou.

E, sobre esta matéria, acrescentou que o espaço público merece um olhar atento do Município. A este nível, a autarquia tem atuado com medidas de prevenção rodoviária mas, admite o edil, encontra muitas dificuldades na sua implementação, não raras vezes devido ao incumprimento das regras e à falta de civismo. "A mesma pessoa que reclama um atendimento demorado é a mesma que estaciona em cima da passadeira", deu como exemplo.

Nessa medida, a aposta da Câmara passa, sobretudo, por formar os mais jovens, incutindo-lhes valores cívicos logo no ensino do primeiro ciclo. "Temos feito um grande investimento" com programas diferenciados e diferenciadores. Mas também isso, reconheceu, não é suficiente. Por isso defendeu que as demais autoridades e a própria sociedade devem penalizar duramente quem, por falta de civismo, provoca acidentes.

Fazendo este diagnóstico, o presidente da Câmara do Porto concluiu a sua intervenção sublinhando a importância dos serviços prestados pelas seguradoras, que contam com profissionais de elevada competência.

Na mesma sessão, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, dirigiu a Rui Moreira um agradecimento "em nome pessoal e em nome de todos os médicos por aquilo que tem feito pela cidade do Porto", nomeadamente pela sua valorização.
O mesmo painel contou ainda com a participação de Guilherme Figueiredo, bastonário da Ordem dos Advogados, Filipe Serrano, da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, e Jose Alvarez Quintero, do Conselho de Administração da Fidelidade.

O 1.º Congresso Médico da Fidelidade prossegue até amanhã no Centro de Congressos da Alfândega do Porto.
Consulte o programa completo aqui.