Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Concurso de ideias para habitação em Monte Pedral é lançado ainda em abril
09-04-2019

Está para breve a publicação em Diário da República do concurso de ideias para o projeto de habitação acessível no antigo quartel de Monte Pedral, localizado na zona da Constituição. Há prémios a considerar.


Dirigido sobretudo à comunidade de arquitetos, engenheiros e projetistas, o Concurso de Ideias para Monte Pedral vai auxiliar a Câmara do Porto com um "cardápio de sugestões" que poderão vir a ser integradas no "projeto regulador" para aquela área, onde a autarquia pretende construir entre 370 a 400 fogos, a maior parte com rendas a custos controlados, informou esta manhã em reunião de Executivo o vereador do Urbanismo, Pedro Baganha.

Com esta "convocatória" pretende-se, acima de tudo, criar "uma plataforma de discussão e participação" que sustente o formato final do procedimento de "conceção, construção e exploração", a ser executado pelo operador "que ficar com a responsabilidade da execução material do projeto" de Monte Pedral (Constituição) e ainda de Monte da Bela (Campanhã).

Não obstante, a vertente concursal (só aplicada a Monte Pedral) assume o devido protagonismo e Pedro Baganha assegurou que haverá prémios e, "eventualmente, menções honrosas" para as melhores propostas. O concurso "deve ser publicado no Diário da República antes do dia 19 [de abril]" e fixa em 75 dias a apresentação das propostas.



O caderno de encargos, antecipou o vereador, tem incluídas as seguintes palavras-chave: ambiente, área expectante, densificação, habitação, inovação, integração, mercado de arrendamento, mobilidade, património, projeto urbano, sustentabilidade.

Para Monte Pedral, é objetivo do Município construir entre 10% a 30% de fogos da tipologia T3 a T1 e entre 50% a 60% de habitações T2, "o que dá uma margem grande de ajuste entre tipologias, sendo nosso foco a tipologia T2", informou o responsável.

No concurso de ideias, será igualmente tida em conta a "exequibilidade das opções" propostas, considerando que a perspetiva de custo deste projeto é de 52 milhões de euros.

Relativamente ao projeto, é também "decisão absolutamente tomada" a instalação de uma residência universitária na frontaria do antigo quartel de Monte Pedral, garantiu o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.