Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Concerto de apoio a estudantes sírios junta Pedro Burmester e Mário Laginha na Casa da Música
23-01-2018
Os pianistas Mário Laginha e Pedro Burmester são os protagonistas do concerto de apoio a estudantes sírios que se realiza, no dia 4 de fevereiro, na Casa da Música. Coorganizado pela instituição anfitriã e a Global Platform for Syrian Students, o espetáculo tem o alto patrocínio do antigo Presidente da República Jorge Sampaio.

Marcado para as 18 horas, o concerto propõe a audição de obras de Laginha, Chopin, Piazzolla, Debussy e Ravel. Trata-se, aliás, de uma oportunidade de encontro com dois excelentes intérpretes que há pouco mais de 20 anos iniciaram uma colaboração cimentada pela amizade e pela relação pianística, apesar dos percursos distintos, partilhando ambas com o público em momentos sempre especiais.

Movido pela solidariedade, este espetáculo acaba por representar também uma apresentação extra no programa de recitais "Concerto para dois pianos" que Burmester e Laginha estão a levar a diferentes salas do país. No âmbito desta digressão, apresentam-se na Sala Suggia da Casa da Música no final da tarde de 3 de fevereiro. No dia 4 regressam então ao mesmo palco, mas neste caso com a música a abraçar a solidariedade.

Uma organização sem fins lucrativos fundada em 2013 por Jorge Sampaio, a Global Platfotm for Syrian Students (Plataforma Global para os Estudantes Sírios) conta, entre outros, com o apoio do Conselho Europeu. De uma forma inédita, reúne os esforços e as contribuições de distintas instituições e entidades na ajuda a estudantes sírios. Governos, organizações regionais e internacionais, agências doadoras, universidades, fundações, ONG, entidades privadas e individuais participam na formação de uma rede colaborativa, desenhada para uma causa comum.

Fica aqui a testemunho de Anas, estudante natural da Síria:
"Vivi em lugares e com pessoas de todo o mundo, num ambiente multicultural, pelo que aprendi muito com eles. Portugal deu-me algo mais; deu-me paz de espírito." E é isso que todos desejamos.