Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

COMUNICADO: Bloco de Esquerda desconhece passe único na Área Metropolitana do Porto?
22-03-2019

Presidentes das Câmaras do Porto e de VN Gaia (e também do Conselho Metropolitano do Porto) emitiram comunicado sobre declarações do BE no Parlamento acerca do passe único. Bloco parece desconhecer que o passe se aplica no Porto e chama a comissão parlamentar os dois autarcas com base em pressupostos falsos.


COMUNICADO

O Bloco de Esquerda comunicou ontem, através da Agência Lusa, que "requereu uma audição no parlamento do presidente da Área Metropolitana do Porto e do presidente da câmara portuense para prestar esclarecimentos sobre cronograma de aplicação do passe único na AMP e especificamente naquela cidade". Nas declarações que são reproduzidas na notícia sobre o PART - Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos e sobre a sua aplicação no Porto, o BE profere um conjunto de afirmações que ou revelam um profundo e muito preocupante desconhecimento da realidade por parte dos seus representantes ou constituem manifesta má-fé que não é admissível a deputados da Nação. 


O presidente da Câmara do Porto esteve e está ao lado do presidente da Área Metropolitana do Porto na aplicação do PART no Porto e na sua Área Metropolitana, e esteve, articulado com as duas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, empenhado na implementação do passe único, o que foi proposto pela primeira vez por 35 municípios, na cimeira de Sintra, depois de uma reunião havida na Câmara de Lisboa entre os dois presidentes das duas Áreas Metropolitanas na qual o presidente da Câmara do Porto colaborou activamente desde o primeiro momento.

Entre esses 35 municípios das duas áreas metropolitanas que estavam nessa cimeira, vários eram independentes e outros eram de partidos políticos, tendo também estado presente o Senhor Presidente da República e o Governo, ao seu mais alto nível. É certo que nenhum dos autarcas era do Bloco de Esquerda, mas isso decorre do facto daquele partido não ter conseguido eleger qualquer presidente da Câmara nas 308 eleições em que participou.

A ausência do BE no poder local não pode, contudo, legitimar o desconhecimento e muito menos minimizar a mentira, quando o Porto não apenas esteve desde a primeira hora na concepção do PART como está a aplicá-lo na redução tarifária, como sabem os portuenses.

As audições parlamentares não podem servir para desmentir notícias cuja origem se desconhece, a bem da dignidade desse órgão de soberania.

Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto
Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara de VN Gaia e do Conselho Metropolitano do Porto