Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Complexo Monte Aventino vai renascer como centro de excelência do ténis
24-01-2018

O Complexo Desportivo Monte Aventino, em Campanhã, vai transformar-se num centro de excelência para a prática e o ensino de desportos de raquete, designadamente o ténis, passando a assumir-se como estrutura de referência do Norte e palco de competições regionais, nacionais e internacionais. Ganhando esta projeção, manterá o essencial: o serviço à população do Porto. Para esta nova realidade, foi celebrado hoje o contrato de cedência de utilização do complexo entre a Câmara do Porto e a Federação Portuguesa de Ténis (FPT).


Ao abrigo do protocolo, a Federação passa a gerir e explorar o equipamento nos próximos 20 anos, mantendo-se o imóvel propriedade do Município. O investimento, a concretizar-se nos próximos dois anos, será integralmente suportado pela FPT, que neste processo é o "parceiro insuspeito". Trata-se de uma entidade de utilidade pública desportiva "que tem vindo a fazer um enorme trabalho em prol do desenvolvimento dos desportos de raquete", com "o know-how e as condições" para atribuir a este complexo, "que ao fim de 20 anos revela alguma vetustez, outra dimensão e qualidade, praticamente dobrando a sua capacidade e dotando-o de um conjunto de valências que nós, Município, não poderíamos ou deveríamos desenvolver" - salientou o presidente da Câmara do Porto na celebração do contrato.

Para Rui Moreira, parcerias como esta "são fundamentais numa cidade que tem ainda hoje uma falta muito grande de equipamentos desportivos. Precisamos de ter mais, e quando conseguimos este tipo de parcerias conseguimos acelerar o processo". No caso, torna-se possível criar uma estrutura que responde aos desígnios locais: como lembrou o autarca, o ténis "é a modalidade em que o Porto tem mais atletas federados; e temos um conjunto de clubes que muito nos prestigiam e certamente verão também aqui o potenciar das suas próprias competências. Este não é um projeto para fazer concorrência aos clubes, pelo contrário, é para potenciar esta atividade desportiva".

Entre o estipulado está a expansão do equipamento por terrenos municipais vizinhos, onde nascerão novos campos de jogo, o que "vai permitir também uma maior transparência entre o jardim de São Roque e a Praça Francisco Sá Carneiro. Toda esta zona muito aprazível da cidade vai ficar muito bem servida", reconheceu o presidente da Câmara.

Por tudo o que encerra, a requalificação do "Monte Aventino" é "um passo muito importante na promoção do desporto, mas também na sustentabilidade da cidade na sua ligação com a Educação e com as atividades sociais que desejamos potenciar", concluiu o autarca, assinalando que este dossiê "mereceu um largo consenso das forças políticas da cidade".

UM EQUIPAMENTO ABERTO AOS CLUBES E CIDADÃOS DO PORTO

A garantia de que o Complexo Desportivo Monte Aventino continuará a manter-se ao serviço da cidade foi sublinhada também por Catarina Araújo, responsável pelo pelouro da Juventude e Desporto. "O Município pretende aproveitar as enormes potencialidades deste equipamento", tornando as suas modalidades "mais acessíveis a um leque cada vez maior de clubes desportivos da cidade e de pessoas e pensando na nossa comunidade escolar" - disse a vereadora, ressalvando por isso que no contrato celebrado "foram salvaguardadas, da parte do Município, uma série de obrigações essenciais".

Entre as condições para a cedência do complexo, que até agora esteve sob gestão da empresa municipal PortoLazer, está "o compromisso de dinamização dos desportos de raquete e criação de um centro de formação e alto rendimento", bem como a obrigatoriedade de ser considerada "indispensável função de serviço público".

Neste sentido, detalhou Catarina Araújo, não só as "as instalações continuarão a ser utilizadas pela PortoLazer" - designadamente em iniciativas como os Campos de Férias e o programa municipal "No Porto a Vida é Longa" -, como a FPT "se compromete a desenvolver um projeto específico no âmbito dos desportos de raquete dirigidos a crianças do 1.º ciclo, além de outras ações de dinamização da modalidade junto das camadas mais jovens". Por último, a Federação "passa a abrir a formação nas suas escolas de ténis às crianças e jovens do Município, desenvolvendo adicionalmente atividades de ação positiva especialmente destinadas a crianças e jovens de contextos mais
desfavorecidos".



ONZE CAMPOS NUM COMPLEXO COM PERFIL COMPETITIVO E DE FORMAÇÃO

Vasco Costa, presidente da FPT, deixou já um desenho do futuro: dos seis campos de ténis atuais, o complexo do Monte Aventino passará a ter onze.
O plano de obras prevê, designadamente, a construção de três campos cobertos em piso rápido, em acrílico, a alteração do piso do court central (também em acrílico), a construção e transformação dos atuais três courts descobertos em cinco courts (pelo menos três em piso duro) e a reposição dos atuais dois campos cobertos em terra batida, bem como a construção de seis novos campos de padel (pelo menos dois cobertos). 

A intenção é que o equipamento "seja dotado de todas as superfícies ao nível competitivo e de formação". Para este desígnio, investir-se-á em pisos rápidos, de acrílico, a exemplo do que "se usa na maioria das competições ao nível internacional, no mundo inteiro". Neste patamar, o court central "será o maior do país" naquele tipo de superfície, "o que permitirá uma das grandes vertentes que queremos: ter aqui várias provas a nível regional, nacional e internacional" - anunciou Vasco Costa.

No projeto, considerou ainda o responsável da Federação, contam "vários parceiros, desde logo a Associação de Ténis do Porto e os vários clubes da cidade". Pela dinâmica local, surgirá "um complexo para o ténis e outros jogos de raquete do Norte. Não o queremos limitar à cidade, mas ao Norte do país".

Inaugurado em 1997, o Complexo Desportivo Monte Aventino inicia assim um novo capítulo na sua história. Ampliada, modernizada e readaptada a novas exigências, transformar-se-á num centro de excelência para a prática e o ensino do ténis, mas também num espaço de eleição para a realização de grandes eventos ligados aos desportos de raquete.

Com uma utilização intensa ao longo destes últimos 20 anos, em que acolheu e formou inúmeros praticantes, servindo de palco a vários eventos e iniciativas associados a esta modalidade, como é o caso do Porto Open, o complexo está hoje desatualizado, necessitando de um conjunto alargado de intervenções. O objetivo passa, pois, por aproveitar todas as suas potencialidades, tornando-o novamente num local modelar para a prática de desportos como o ténis, o padel ou o squash, e dotando-o de um centro de formação e alto rendimento.

Além da ampliação dos parque de campos, o projeto pressupõe obras de manutenção e melhoramento das atuais instalações desportivas e sociais, de acordo com um plano a apresentar nos próximos seis meses.