Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Comércio tradicional é mais procurado pelos portuenses
18-12-2017
O comércio tradicional está a reconquistar os portuenses. Esta realidade é hoje reiterada por duas fontes: o Observatório Cetelem Natal 2017 anuncia a crescente procura pelas lojas de rua e a Associação de Comerciantes do Porto tem dados que confirmam já um aumento das vendas de Natal face a igual período de 2016. Sentimento de segurança, reabilitação urbana e diversificação da oferta são alguns dos motivos que justificam a procura.

Como em maio afirmava o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, o comércio tradicional da cidade está a ganhar uma guerra que parecia perdida. E o relatório do Observatório Cetelem vem corroborar a perceção do autarca, ao mostrar que cada vez mais a população local procura este tipo de comércio para fazer as suas compras. O estudo mostra ainda que os portuenses são mais apreciadores das lojas de rua do que os lisboetas.

Por seu turno, o presidente da Associação de Comerciantes do Porto, informou que as vendas no comércio tradicional do Porto aumentaram entre 15 a 20% nesta época natalícia, em comparação com 2016. Em declarações à Agência Lusa, Nuno Camilo argumenta que o consumo registado no setor está a "aumentar de forma considerável", porque "há um sentimento de maior confiança" e "um aumento de conforto".

Os dois feriados recentes - 1 e 8 de dezembro -, associados ao fenómeno da 'Black Friday' (dia com descontos), assim como uma "boa oferta de parques de estacionamento" e vários de meios de transporte públicos, que ajudam as pessoas a sair de casa, são alguns dos argumentos que Nuno Camilo enumera para justificar o aumento entre os 15% a 20% nas vendas no comércio tradicional em vários setores na cidade do Porto.

Além das vendas presenciais, há um outro fenómeno que está a ajudar a alavancar o aumento dos negócios que são as "vendas online", observa ainda Nuno Camilo.

Procura reflete nova dinâmica da cidade

Em 2016, a Associação de Comerciantes do Porto já tinha referido que as vendas do comércio tradicional do Porto para a época festiva do Natal e Passagem de Ano estavam a aumentar 20% face ao período homólogo de 2015 "numa perspetiva transversal".

Na altura, a previsão do aumento de volume de negócios no comércio tradicional para a época natalícia explicava-se, segundo Nuno Camilo, por quatro principais razões que se prendiam com o "aumento da segurança nas ruas", o "aumento de turistas", "aumento da reabilitação urbana" e "uma política de eventos para a cidade".

Nuno Camilo refere que essas quatro principais razões apontadas em 2016 se replicam em 2017, ano a que se somam agora mais os fenómenos dos dois feriados nacionais e da 'Black Friday', assim como a oferta de transportes públicos e de parques de estacionamento.
O responsável considera ainda que aumento da diversificação de "novos produtos" alimentares e a implementação de "novos espaços comerciais", como hotéis, hostels, geladarias, lojas de aluguer de bicicletas e de motas ou lojas de material de papelaria diferenciado, ajudam também ao aumento das vendas no Natal.

A juntar-se a esta reunião de fatores, "neste momento existe o sentimento de que a crise passou e acho que no dia 23 de dezembro poderemos fazer um balanço ainda melhor", sugere o presidente da Associação dos Comerciantes do Porto.