Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

CMP vai lançar o concurso que tornará Matadouro em pólo de desenvolvimento de Campanhã e do Bonfim
23-06-2017

Os vereadores vão ficar a conhecer, em reunião pública de Executivo, na próxima terça-feira, o concurso que a Câmara do Porto vai lançar nos próximos dias para a reabilitação do Matadouro de Campanhã, que assim se transformará num espaço empresarial de cultura, inovação e coesão social. O projeto preliminar, apresentado na Trienal de Milão, em abril de 2016, está agora pronto para ser posto a concurso.


O modelo de reabilitação e gestão, bem como a calendarização, serão apresentados aos vereadores pela equipa que tem a seu cargo a definição do caderno de encargos.




A obra deverá ficar pronta a meio do próximo mandato e a adaptação do espaço irá permitir alocar várias valências-chave, que assentam nos três eixos da governação da cidade propostos pelo independente Rui Moreira: coesão social, economia e cultura.


O antigo Matadouro irá dedicar áreas a empresas criativas e tecnológicas nacionais e internacionais; à arte e à comunidade e a projetos sociais e artísticos, em articulação com o tecido social de Campanhã.


A proposta apresenta particular cuidado na recuperação e manutenção de grande parte da construção original, que se encontra maioritariamente em estado de degradação, dotando-a, de modo subtil possível, de todas as infraestruturas necessárias para a implantação das várias valências.


A filosofia da recuperação do espaço tem por base a tentativa de preservação da imagem de caráter fortemente industrial que ainda hoje marca aquele conjunto arquitetónico. O desenho dos novos espaços necessários para dar resposta ao programa delineado, nomeadamente, os auditórios, acervos, galerias e escritórios, respeita a estrutura e métrica atualmente existentes no local.


Está contemplada uma passagem privilegiada e ligação ao Metro para servir visitantes, trabalhadores e a população residente na zona da Corujeira.


O antigo Matadouro Industrial de Campanhã encontra-se implantado num terreno com 29 mil metros quadrados e resulta de um projeto aprovado em 1910 pela Câmara do Porto, com entrada em funcionamento na plenitude em 1932 e desativado há mais de 20 anos.


No mandato anterior, o espaço chegou a ser posto à venda pela Câmara do Porto e serviu como armazém e depósito.


Rui Moreira espera que o programa venha a ter um impacto muito significativo nos equilíbrios da cidade e na captação de muitas atenções para a freguesia mais oriental do Porto (Campanhã), com as áreas limítrofes a sofrerem um efeito de contágio positivo. O Matadouro insere-se na política de reabilitação urbana e na definição das áreas de reabilitação lançadas pelo autual executivo para a zona oriental da cidade e articula-se com o projeto já lançado para a construção do Terminal Intermodal de Campanhã.


A apresentação do projeto do antigo Matadouro na 21ª Trienal de Artes, Design e Arquitetura de Milão foi fruto de uma parceria com a ESAD - Escola Superior de Artes e Design.