Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Sete espetáculos internacionais marcam nova temporada no Teatro Municipal do Porto
06-09-2016

A nova temporada do Teatro Municipal do Porto (de setembro a dezembro), hoje oficialmente apresentada pelo presidente da Câmara, Rui Moreira, tem prevista a realização de mais de 50 espetáculos, dos quais sete são internacionais (e destes cinco em estreia nacional). Haverá 16 coproduções de raiz, 36 de companhias da cidade e envolvendo mais de 400 artistas. Destaque natural também para a terceira edição do Fórum do Futuro, grande festival do pensamento e que trará ao Porto, de 1 a 6 de novembro, os mais reconhecidos nomes de áreas tão diversas como a arquitetura, a literatura, cinema e as artes plásticas, em estreito diálogo com a "Ligação", tema escolhido para este ano para a área da Cultura.


Durante os próximos quatro meses, as mais recentes criações de importantes coreógrafos, tais como Emanuel Gat (Israel), Lisbeth Gruwez (Bélgica) e Boris Charmatz (França), vão passar pelo Teatro Municipal do Porto. O coreógrafo francês adaptará o espetáculo "Manger" ao terceiro piso do edifício do Palácio dos Correios. Já Gisèle Vienne (França/Áustria) trará "A Convenção dos Ventríloquos" ao encerramento do FIMP - Festival Internacional de Marionetas do Porto, que decorrerá de 13 a 22 de outubro.


A Festa do Cinema Francês, a terceira edição do Porto Post Doc e o Queer Porto 2 apresentam uma programação internacional de cinema, sendo também um dos pontos fortes da temporada. Mas a programação foi pensada também para os novos espetáculos de Vera Mantero, Victor Hugo Pontes, Joana Providência, Mala Voadora, Teatro Experimental do Porto, Teatro Praga, Teatro de Ferro, Teatro de Marionetas do Porto e d'As Boas Raparigas.


Ainda durante o mês de setembro (dia24) destaque para a estreia nacional do espetáculo do israelita Emanuel Gatz, com que o Rivoli abre a temporada internacional de dança, "Gold". Em outubro, o realce para a segunda edição do festival de cinema Queer Porto, e o regresso ao palco do Rivoli do coreografo português Vítor Hugo Pontes, com a estreia da coprodução Uníssono.


Novembro destaca-se pelo espetáculo de Vera Mantero, "O limpo e o sujo", outra coprodução de dança, e a terceira edição do festival Porto/Post/Doc. No último mês do ano, o Rivoli apresentará o novo trabalho da companhia As Boas Raparigas, a sétima edição do Porta-Jazz e, fora do teatro, o espetáculo "Manger", de Boris Charmatz, no terceiro andar do gabinete do município para, explicou Tiago Guedes, "levar o publico a descobrir outros sítios da cidade".


Incluído nesta temporada estão ainda o "Porto Best Of", comissariado por Miguel Guedes, que levará ao teatro Municipal do Porto Expansive Soul, Cru, TARANTULA, EQU ALEFT, REDEMP TUS, assim como os Jovens Talentos, o Festival Porta Jazz e as Quintas de Leitura. No âmbito do Cultura em Expansão, dois importantes projetos serão apresentados no Rivoli: a segunda edição do Oupa!, já com importantes marcas deixadas no bairro do Cerco, e a estreia do filme de Salomé Lamas sobre os vários bairros da cidade.  Na apresentação da programação foi ainda anunciado o início, já este mês, de uma pós graduação em dança contemporânea para 20 alunos selecionados.


Durante a apresentação da nova temporada, Rui Moreira fez um balanço da época anterior do Teatro Municipal, revelando que, de janeiro a julho, foram apresentados mais de 100 espetáculos, dos quais 19 foram de artistas internacionais, 11 estreias, envolvendo 713 artistas, 51 coproduções, com um total de 73 mil espetadores.